renda

Minha Casa Minha Vida: saiba como calcular renda familiar

O programa Minha Casa Minha Vida é um dos meios mais procurados para a conquista da casa própria, mas uma dúvida muito comum sobre o financiamento é com relação ao cálculo da renda familiar, um dos principais fatores para a definição das condições de pagamento.
É o valor da renda quem determina em qual faixa do programa você se encaixa: cada faixa possui suas condições específicas como prazo para pagamento, taxa de juros e valor das parcelas. Neste contexto, é essencial fazer o cálculo correto da renda familiar para entender melhor seus benefícios.
Se você quer descobrir como calcular renda familiar, veio ao lugar certo: ao longo deste post vamos compartilhar os detalhes do cálculo, além de explicar um pouco mais sobre a comprovação de renda no Minha Casa Minha Vida.
Então vamos começar? Boa leitura!

Afinal, o que é renda familiar?

A renda familiar é a soma da renda individual bruta dos moradores de uma mesma casa. Isso significa que deve-se considerar o valor da renda sem descontos, bem como acrescentar no cálculo toda fonte de receita.
Sendo assim, para saber a sua renda familiar é preciso não apenas somar o salário, mas também valores advindos de atividades autônomas ou de benefícios como pensões, previdência privada ou pública e qualquer outra fonte.
O cálculo da sua renda familiar tem impacto direto no financiamento de imóveis e vai definir questões importante como o valor das parcelas e outras condições de pagamento do programa Minha Casa Minha Vida. Por isso é importante entender como fazer esse cálculo.

Como funciona a comprovação de renda no Minha Casa Minha Vida?

Quando pensamos em financiamento imobiliário, sabemos que um dos principais fatores para definir os detalhes do contrato é a comprovação de renda. É este detalhe que vai comprovar ao banco sua capacidade de arcar com as despesas do crédito.
No programa Minha Casa Minha Vida isso não é diferente: quem deseja investir na casa própria precisa fazer a comprovação de renda e para isso deve calcular a renda familiar. Esse valor vai determinar em qual faixa do programa você está inserido e a partir daí pontos como prazo, taxas e valor das parcelas também são estabelecidos.
Outros requisitos devem ser preenchidos para se inscrever no Minha Casa Minha Vida, confira:

  • É preciso estar com o nome “limpo”, sem restrições no CPF (a faixa 1 do programa abre uma exceção para este requisito, permitindo a contratação por quem possui restrições)
  • O valor das parcelas não podem ultrapassar 30% da sua renda mensal
  • Você não pode ter imóveis ou outros financiamentos imobiliários registrados no seu nome
  • Você não pode ter recebido outros benefícios habitacionais do governo

Uma boa forma de visualizar as condições específicas para o seu perfil e descobrir a faixa do programa na qual você se encaixa é realizar a simulação do financiamento, disponibilizada no site da Caixa Econômica Federal. É possível fazer toda a simulação online: bem prático, não é mesmo?

Como calcular renda familiar?

Bom, agora vamos a parte prática do processo: entender como calcular renda familiar. Para explicar de forma mais clara, vamos compartilhar um exemplo com você, imagine só esse cenário:
Você mora com seus pais, o seu salário é de R$2 mil, já seu pai recebe um salário de R$ 1.800: a soma da renda familiar neste caso é de R$ 3.800.
Quando consideramos os critérios do Minha Casa Minha Vida, já é possível saber alguns detalhes a partir desse resultado: essa renda mensal familiar significa que você está na faixa 2 do programa, voltada para as famílias com renda de até R$4.000. Nesta faixa o prazo para pagamento do financiamento imobiliário pode chegar a 30 anos e é possível receber um subsídio de até R$29 mil.

Composição de renda pode ajudar!

É muito comum encontrar o imóvel dos sonhos, mas não ter renda suficiente para adquiri-lo por meio do financiamento imobiliário pelo programa Minha Casa Minha Vida. Se isso aconteceu com você, não precisa se desesperar: a composição de renda familiar pode ajudar!
Se você mora sozinho ou se mesmo com a soma de todos os membros da sua casa não for possível atingir o valor necessário para a compra do imóvel desejado, a Caixa permite agregar a renda de outras pessoas no cálculo para chegar a uma renda mensal familiar bruta mais alta.
Para entender melhor, olha só quem pode te ajudar a conquistar a casa própria mesmo sem morar junto com você:

  • Pai, mãe ou irmãos
  • Namorado ou namorada
  • Padrasto e madrasta
  • Filhos e enteados

Fique atento!

A composição de renda é uma das grandes vantagens do Minha Casa Minha Vida, mas é importante ficar atento a alguns detalhes antes de optar por esse benefício. Agregar a renda de outras pessoas afeta diretamente nas condições do financiamento, por isso é preciso considerar alguns fatores antes de tomar uma decisão.
Confira alguns pontos importantes para levar em conta com relação a composição de renda familiar no programa Minha Casa Minha Vida:

  • A idade da pessoa mais velha é considerada para definir prazo e valor do financiamento
  • Todos os envolvidos devem ter o CPF livre de restrições
  • Todos devem apresentar as mesmas documentações, que serão analisadas pelos mesmos critérios
  • O saldo do FGTS de todos os membros pode ser utilizado para oferecer um valor maior de entrada, amortizar parcelas ou até mesmo quitar o financiamento em algum momento.

Viu só como é fácil calcular a sua renda familiar mensal para o financiamento com o Minha Casa Minha Vida? Aproveite as nossas dicas para encontrar as melhores condições e realizar o sonho da casa própria!


Rolar para cima