Como Usar Fgts Para Comprar Imoveis Passo A Passo Aqui

Como usar o FGTS para comprar imóveis? Passo a passo aqui!

A aquisição da casa própria e a tranquilidade de uma vida livre do aluguel é um sonho que faz parte dos planos de muitas pessoas, mas que pode ser adiado pela dificuldade em guardar dinheiro ou por falta de informação sobre financiamento e uso do FGTS. Em nosso blog há vários conteúdos com dicas de financiamento de imóveis, e nesse em particular iremos focar no uso do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) na compra de um imóvel, você vai ver que ele pode ser um grande auxílio na realização do seu sonho.

Os recursos do Fundo de Garantia podem ser o empurrãozinho que faltava para a compra da tão sonhada casa ou apartamento, e pode até facilitar ainda mais aquele financiamento imobiliário no qual você estava de olho!

Pensando nisso, preparamos um conteúdo especial neste post para te contar como usar o FGTS para comprar imóveis. Você vai entender como funciona o processo, quais são as regras para utilização do saldo e as opções de uso.

Então vamos começar?

O que é o FGTS?

Você com certeza já deve ter ouvido falar sobre o FGTS por aí, mas é importante entender direitinho o que é esse recurso para que você possa fazer bom uso dele. O Fundo de Garantia por Tempo de Serviço nada mais é do que uma garantia aos trabalhadores contratados pelo regime CLT.

Funciona assim: todo mês, o empregador deposita 8% do valor bruto do salário em uma conta específica na Caixa Econômica Federal. Esta é uma quantia adicional, por isso a porcentagem não é descontada do seu salário.

O dinheiro fica guardado nesta conta e o saldo do FGTS pode ser utilizado em diversas situações, confira:

  • Demissão sem justa causa
  • Aposentadoria
  • Casos de doenças graves
  • Situações de emergência ou calamidade pública
  • Financiamento imobiliário, compra de imóvel ou construção
  • Fechamento da empresa
  • Idade igual ou superior a 70 anos
  • Contas sem depósitos por três anos seguidos

Além destes casos específicos, também é possível utilizar o chamado saque-aniversário. Nessa modalidade, você pode sacar parte do dinheiro do FGTS uma vez ao ano no mês do seu aniversário.

Vale ressaltar que é preciso avisar a Caixa caso você queira usufruir deste benefício. Além disso, você não poderá sacar o saldo total da conta caso seja demitido por justa causa.

Regras para usar o FGTS na compra de imóveis

Como o nosso foco é explicar o uso do FGTS para compra e financiamento de imóveis, precisamos entender as regras para liberação do saldo nestes casos antes de explicarmos outros pontos importantes do processo.

Confira quais são elas:

  • Ter no mínimo três anos de trabalho no regime do FGTS (consecutivos ou não)
  • Não ter financiamento ativo no Sistema Financeiro de Habitação (SFH)
  • Não ser proprietário de imóvel residencial urbano

Como o saldo pode ser utilizado na compra da casa própria?

Se o seu sonho é comprar um imóvel e sair do aluguel, é importante saber que existem três formas de utilizar o saldo do FGTS para realizar esse sonho:

1. Entrada para financiamento

Os financiamentos imobiliários costumam exigir um valor de entrada para a contratação e você pode utilizar o seu Fundo de Garantia para pagar esta quantia ou até mesmo parte do valor total do imóvel desejado.

2. Amortização ou liquidação do seu saldo devedor

Outra forma de facilitar a compra da sua casa com o saldo do FGTS é amortizando ou até  mesmo liquidando o saldo devedor. Vale destacar que isso pode ser feito apenas para contratos assinados pelo Sistema Financeiro de Habitação.

3. Pagamento de parte das parcelas

Se o saldo disponível não é suficiente para quitar a sua dívida, não se preocupe: você ainda pode diminuir significativamente o valor do seu financiamento com o pagamento de parte das parcelas.

Nestes casos, é possível reduzir em até 80% o valor das prestações por 12 meses seguidos. O procedimento também é válido apenas para contratações no Sistema Financeiro de Habitação.

Entenda como usar o FGTS para comprar imóveis

Os recursos do Fundo de Garantia podem ser uma grande ajuda, já que você não é obrigado a sacar em nenhum momento e o dinheiro têm rendimento na conta: o valor é corrigido pela TR (Taxa Referencial) mais 3% ao ano.

Contas ativas e inativas podem ter acesso aos valores, por isso é importante entender o passo a passo para usar o FGTS na compra de imóveis. Confira:

1. Consulte o seu saldo

O primeiro passo é saber o valor disponível para uso, pois só assim você poderá definir um orçamento e se planejar financeiramente para não comprometer a sua renda.

A consulta de saldo pode ser feita de várias formas e você nem precisa ir até uma agência da Caixa para isso. Olha só por quais canais é possível ter acesso a essa informação:

  • Site da Caixa: basta informar o número do NIS/PIS e fazer um cadastramento rápido, no qual será preciso preencher os dados solicitados e criar uma senha.
  • Aplicativo FGTS: a Caixa também criou um aplicativo específico para consultas do FGTS, disponível para iOS e Android. É possível acessá-lo com a mesma senha criada no site, mas você pode fazer o cadastro diretamente no aplicativo se preferir.
  • SMS e e-mail: se preferir, você ainda pode receber uma atualização mensal do seu saldo do FGTS diretamente no celular por meio de SMS ou e-mail. Esses serviços podem ser solicitados diretamente pelo site ou pelo aplicativo.

Vale ressaltar que o extrato em papel – enviado pelos correios a cada dois meses – deixa de ser emitido caso você opte pelo recebimento da atualização por e-mail.

2. Separe a documentação necessária

Fazer um checklist da documentação antecipadamente é essencial para evitar atrasos no processo, por isso listamos aqui os principais documentos necessários para uso do FGTS na compra de imóveis:

  • Documento de identificação oficial
  • Extrato da conta vinculada ao FGTS
  • Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física (DIRPF) – se for casado ou estiver em união estável, a Declaração de ambos deve ser apresentada. Se você for trabalhador avulso, é preciso apresentar uma declaração do sindicato ou do órgão gestor da mão de obra
  • Carteira de trabalho

Não esqueça também de separar os documentos específicos solicitados pela linha de financiamento imobiliário escolhida por você.

3. Verifique o valor máximo para compra

É importante saber que existe um valor máximo para os imóveis comprados com o uso do saldo do Fundo de Garantia. Este valor é de até R$1.500.000 e é o mesmo para todos os estados brasileiros.

Outro ponto importante é que o imóvel não pode ser comercial ou comprado para terceiros, devendo destinar-se para moradia do titular do FGTS. O uso do saldo para reformas, compras de material de construção ou de terrenos com obras em andamento também não é permitido.

4. Uso do FGTS no Minha Casa, Minha Vida

Outra possibilidade muito interessante é usar o FGTS no Minha Casa, Minha Vida. O financiamento pelo programa oferece diversas condições diferenciadas para a compra da casa própria e o uso do Fundo de Garantia pode ser mais um agente facilitador.

É possível utilizar o saldo para os mesmos fins já explicados neste post: entrada do financiamento, amortizar ou liquidar a dívida e redução das parcelas em até 80% por até 12 meses consecutivos.

E como funciona o saque?

As formas de sacar o saldo do seu Fundo de Garantia podem variar conforme o valor a ser retirado. Entenda as opções:

  • Saques de até R$1.500: é possível sacar diretamente no caixa eletrônico utilizando a senha do Cartão do Cidadão ou ainda em lotéricas ou lojas correspondentes da Caixa. Nestes dois últimos casos é preciso apresentar um documento de identidade oficial com foto e também o seu Cartão do Cidadão com a senha.
  • Saques de R$1.500 a R$3 mil: saques disponíveis no caixa eletrônico com o Cartão do Cidadão (aqui não é possível realizar a operação apenas com a senha, é preciso levar o cartão), saques em lotéricas ou lojas correspondentes da Caixa com Cartão do Cidadão com senha e documento oficial com foto.
  • Saques acima de R$3 mil: nestes casos não é possível fazer o saque nos caixas eletrônicos. É preciso ir até os caixas localizados dentro da agência e apresentar um documento oficial com foto.

No início de 2020, a Caixa também disponibilizou a opção de transferência dos recursos do FGTS a partir do aplicativo. É possível transferir para outras contas bancárias e o valor é depositado em até cinco dias úteis.

Condições especiais para 2020

Considerando os impactos da pandemia do coronavírus na vida financeira dos brasileiros, a Caixa liberou condições especiais de saque do Fundo de Garantia para 2020. Além da possibilidade de transferir os recursos diretamente pelo aplicativo, criada antes mesmo do início do isolamento social no Brasil, o governo também autorizou o saque emergencial.

A ação foi autorizada em abril por meio de uma medida provisória e permite o saque de até um salário mínimo (R$1.045) para contas ativas e inativas. A medida é válida até 31 de dezembro.

Primeiro o valor é depositado em uma poupança digital criada pela Caixa e fica disponível apenas para pagamentos de compras online e boletos. Depois o dinheiro é liberado e pode ser transferido para outros bancos ou sacado diretamente nos caixas eletrônicos das agências.

Não há dúvidas de que o Fundo de Garantia oferece diversas alternativas para facilitar a jornada de compra da casa própria, então que tal aproveitar as nossas dicas para se planejar e finalmente realizar esse sonho?


Rolar para cima