financiamento Caixa

Entenda como funciona um financiamento Caixa

Quando falamos sobre crédito imobiliário, a Caixa Econômica Federal é a primeira referência a aparecer na mente de grande parte dos brasileiros. A instituição é a maior fornecedora de créditos já há alguns anos, mas você conhece as linhas de financiamento Caixa?
Conquistar um imóvel é um passo muito importante, mas para que tudo aconteça com tranquilidade e você realize esse sonho do jeito que sempre planejou, é preciso analisar as opções de financiamento disponíveis para garantir um negócio vantajoso para o seu bolso.
Por isso, listamos todas as modalidades de financiamento imobiliário disponíveis na maior fornecedora de crédito do Brasil e vamos compartilhar os detalhes de cada uma delas para te ajudar no processo. Boa leitura!

Afinal, como funciona um financiamento Caixa?

O financiamento Caixa funciona da mesma maneira que os créditos oferecidos por outros bancos: você pode simular o seu financiamento para analisar as condições disponíveis ao seu perfil e depois dar início ao processo na prática.
Após a simulação, você deve apresentar toda a documentação solicitada pela instituição, aguardar a análise desses dados para assinar o contrato e então ter a liberação do crédito. O que muda entre um financiamento e outro são as taxas de juros e condições de pagamento oferecidas.
Vale destacar ainda que o perfil de cada cliente também pode interferir nas condições de pagamento. Um dos principais fatores avaliados pelos bancos é a renda mensal comprovada pelo cliente, pois esse dado indica a capacidade do mutuário arcar com a dívida do financiamento.
A Caixa trabalha com uma série de linhas de financiamento imobiliário, com opções para todos os bolsos e perfis. Não à toa é a maior no setor: segundo dados da instituição, a Caixa representa 67,1% do mercado e segue como maior financiadora da casa própria no Brasil.

Quem pode solicitar?

Para solicitar qualquer modalidade de financiamento imobiliário é preciso atender a alguns requisitos básicos, como ser maior de 18 anos (ou emancipado com 16 anos), não ter restrições de crédito em órgãos como SPC e Serasa, assim como ter uma fonte de renda comprovada.
É importante esclarecer que a comprovação de renda pode ser feita a partir de diversos documentos. Com o crescimento do número de trabalhadores autônomos, os bancos passaram a aceitar outros comprovantes além do holerite e carteira de trabalho, por exemplo.
Portanto, se você for um trabalhador autônomo, não precisa se preocupar com isso, lembre-se apenas de conferir com o atendente da Caixa quais os documentos aceitos. Normalmente, a declaração de Imposto de Renda, extratos da conta bancária e o Decore (Declaração Comprobatória de Percepção de Rendimentos) são os mais comuns.
Para quem é MEI (Microempreendedor Individual), a DASN-SIMEI, Declaração Anual de Faturamento do Simples Nacional do Microempreendedor Individual, é outra opção.

Como funciona a portabilidade de financiamento imobiliário?

Além da Caixa, outros bancos oferecem linhas de financiamento imobiliário, cada uma com suas condições de pagamento e benefícios. Ao longo dos anos, uma modalidade pode ficar mais interessante do que outra ou até mesmo uma nova modalidade pode ser lançada com condições mais vantajosas para o seu perfil.
É neste momento que a portabilidade de financiamento imobiliário pode fazer toda a diferença. O processo permite que você migre de uma linha para outra disponível em um banco diferente daquele com o qual você fechou contrato.
A portabilidade ganhou ainda mais força durante o período da pandemia trazido pelo Covid-19. Isso porque as taxas de juros caíram, o mercado imobiliário aqueceu e assim abriu espaço para criação de novas linhas de financiamento com condições bem mais atrativas para o consumidor.

Conheça as linhas de financiamento Caixa

Agora que já entendemos um pouco mais sobre o processo de financiamento da Caixa, já podemos falar sobre as linhas encontradas na instituição, certo? Atualmente, a Caixa Econômica Federal conta com quatro modalidades de financiamento e é o principal agente do programa habitacional do Governo, o Casa Verde e Amarela.
Com as modalidades oferecidas pelo banco, quem deseja comprar imóveis pode ter benefícios incríveis como a possibilidade de usar o FGTS, alguns dos menores juros do mercado e até 35 anos para pagar. Vale lembrar que as linhas financiam tanto imóveis usados como imóveis novos.
Confira então as linhas de financiamento disponíveis na Caixa e saiba as condições disponibilizadas por cada uma atualmente:

1. Financiamento atrelado a poupança

Modalidade mais recente dentre os financiamentos da Caixa, a linha atrelada à poupança tem sido um sucesso e teve redução nos juros anunciada nos últimos meses. O crédito imobiliário, anunciado pelo banco em 2020, permite financiar até 80% do valor do imóvel e teve alterações nas taxas que permanecem válidas desde outubro de 2021.
A linha traz juros a partir de 2,95% ao ano + rendimento da caderneta de poupança, que tem como base o índice da Selic, taxa básica do país. Na prática, funciona assim: quando a Selic está abaixo de 8,5% ao ano, o rendimento da poupança é de 70% da Selic + TR (Taxa Referencial), e se a taxa básica ultrapassa esse índice de 8,5%, o rendimento passa a ser de 0,5% ao mês + TR.
Vale destacar que a TR está zerada desde 2017 e a Selic hoje registra 7,75% ao ano. A taxa básica de juros do país é revisada a cada 45 dias, por isso é importante estar atento a possíveis alterações. Você pode sempre conferir o índice atualizado no site oficial do Banco Central, órgão responsável por regular a Selic.

2. Financiamento atrelado ao IPCA

Essa linha é uma exclusividade da Caixa Econômica Federal e é corrigida pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), o principal medidor da inflação brasileira.
Atualmente, é possível encontrar juros a partir de 3,55% ao ano + IPCA nessa modalidade. É importante ficar atento aos índices do IPCA ao avaliar essa linha: para se ter uma ideia, o IPCA acumulado registrou 8,24% em outubro de 2021.
Outro ponto importante a ressaltar sobre essa modalidade é que você pode financiar até 80% do valor total do imóvel caso opte por ela. Sempre lembrando que as parcelas do financiamento normalmente não podem ultrapassar 30% da sua renda mensal.

3. Financiamento com taxa de juros pré-fixada

A linha de financiamento com taxa de juros pré-fixada também é um produto mais recente da Caixa Econômica Federal e, como o próprio nome já revela, trabalha com juros fixos. Apesar de trazer mais estabilidade ao longo do pagamento, os valores das taxas podem ser mais altos, por isso é importante colocar esses fatores na balança para avaliar se o negócio realmente será vantajoso para você.
Com o aumento da taxa Selic, essa modalidade de crédito imobiliário sofreu reajustes ao longo dos últimos meses. Com isso, as taxas atuais estão em 9,50% ao ano, com possibilidade de financiar até 80% do imóvel.

4. Financiamento atrelado a TR

A última linha de financiamento imobiliário disponível na Caixa é a corrigida pela TR. Como já falamos aqui, a Taxa Referencial está zerada desde 2017, portanto é possível considerar apenas o índice fixado pelo banco ao analisar essa modalidade.
Para essa opção de crédito imobiliário, a Caixa Econômica Federal traz índices a partir de 7,25% ao ano + TR, com possibilidade de financiar até 80% do valor total do imóvel. Essa é a linha mais tradicional de financiamento oferecida pela Caixa.

5. Programa Casa Verde e Amarela

Criado para substituir o Minha Casa, Minha Vida, o Casa Verde e Amarela é o programa habitacional do Governo destinado às famílias com renda mensal de até R$7 mil. O programa é um ótimo aliado para quem deseja financiar um imóvel com condições de pagamento e taxas de juros ainda mais acessíveis.
Nesta opção de financiamento, as condições de pagamento também são definidas de acordo com o perfil de cada cliente, considerando principalmente a renda mensal. Para isso, o programa faz uma divisão em grupos para determinar as taxas de juros praticadas, confira:

  • Grupo 1: destinado às famílias com renda mensal de até R$2 mil, o Grupo 1 disponibiliza taxas de juros de 4,5% ao ano para cotistas do FGTS e de 5% ao ano para não cotistas. A unificação das taxas para este grupo foi uma das alterações no Casa Verde e Amarela anunciadas pelo Governo em setembro.
  • Grupo 2: o segundo grupo atende famílias com renda mensal entre R$2 mil e R$4 mil, apresentando taxas de juros de 5% ao ano para cotistas do FGTS e de 7% ao ano para não cotistas.
  • Grupo 3: voltado para famílias com renda mensal entre R$4 mil e R$7 mil, o último grupo do programa também teve alterações na taxa de juros no anúncio feito pela Caixa em setembro. Hoje, os índices são de 7,16% ao ano para cotistas do FGTS e de 7,66% para não cotistas.
    Entretanto, é importante esclarecer que esses índices são temporários e valem apenas até dezembro de 2022. Após esse período, as taxas voltam aos índices originais: 7,66% para cotistas do FGTS e 8,16% para não cotistas.

Deu para entender por que a Caixa é o principal agente financiador de imóveis no Brasil, não é mesmo? A variedade de opções traz oportunidades para todos os perfis, basta avaliar as melhores condições para o seu bolso.
Aqui no blog da Cataguá você encontra outros conteúdos sobre as linhas de financiamento Caixa, sobre o processo de compra de imóveis e ainda pode conferir dicas que vão te ajudar a encontrar o melhor crédito imobiliário.


Rolar para cima