financiamento caixa corrigido pela poupança

Caixa reduz juros da linha de financiamento imobiliário poupança

Lançado em 2020, o crédito imobiliário juros poupança da Caixa é um dos mais procurados por quem deseja conquistar a casa própria. Agora os clientes terão ainda mais motivos para optar pela modalidade, já que o banco anunciou uma redução para os juros da linha que vai facilitar ainda mais a compra de imóveis.
A redução foi possível graças ao aumento de contratos da Caixa Econômica Federal ao longo de 2021. Para entender a mudança na taxa de juros e conferir como ela pode te ajudar a transformar o sonho da casa própria em realidade, é só continuar a leitura deste post com a gente.

O que muda no financiamento imobiliário poupança?

Em setembro, a Caixa Econômica Federal anunciou uma redução na taxa de juros de uma das linhas de financiamento imobiliário oferecidas pela instituição. Agora, é possível contratar o crédito corrigido pela poupança com taxas a partir de 2,95% ao ano + rendimento da caderneta de poupança.
Isso representa uma diminuição de 0,4 ponto percentual na taxa anunciada pelo banco no lançamento dessa modalidade de financiamento, em 2020. Antes, a linha trazia juros a partir de 3,35% ao ano + rendimento da poupança.
A redução vai contra a expectativa de alta nos juros dos financiamentos após aumento da taxa Selic e mantém um cenário muito positivo para quem deseja adquirir um novo imóvel em 2021.
Durante o anúncio, o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, explicou que a redução foi possível porque o banco possui uma boa quantia em títulos públicos, responsáveis por remunerar a Selic. Dentro deste contexto, o presidente afirmou que quanto maior a taxa básica de juros, maior o ganho da Caixa.
Além disso, a instituição vem registrando um crescimento significativo nos contratos de financiamento imobiliário ao longo de 2021, o que favorece ainda mais o oferecimento de condições de pagamento mais acessíveis. Para se ter uma ideia, houve um aumento de R$300 bilhões no lucro da Caixa na atual gestão.
A Caixa segue como maior agência financiadora de imóveis no Brasil, ocupando 67,1% de participação no mercado. Em agosto, mês de maior contratação do banco, foram registrados R$14,01 bilhões em novos contratos.
Antes do anúncio da Caixa, o Itaú, banco pioneiro na modalidade de financiamento atrelado à poupança, já havia apresentado uma redução nas suas taxas de juros. As taxas mínimas passaram de 3,95% para 3,45% ao ano + rendimento da poupança.

Como funciona o crédito imobiliário juros poupança?

Para entender o crédito imobiliário juros poupança da Caixa Econômica Federal, precisamos compreender como funciona o rendimento da caderneta de poupança. Vamos começar por aqui?
Bom, a caderneta de poupança varia de acordo com a Selic, taxa básica de juros do país, e tem uma taxa pré-estabelecida pelo governo, portanto o rendimento será igual em todos os bancos que oferecem essa categoria. Desde 2012, a taxa funciona assim: quando a Selic está abaixo de 8,5% ao ano, o rendimento da poupança é de 70% da taxa básica de juros + TR (Taxa Referencial). Se a Selic ultrapassa o índice de 8,5% ao ano, o rendimento da poupança é de 0,5% ao mês + TR.
Dentro deste contexto, vale ressaltar que a Taxa Referencial se mantém zerada desde o final de 2017. Já a Selic está em 6,25% ao ano, índice atualizado pelo Copom (Comitê de Política Monetária do Banco Central) em setembro. A taxa básica é atualizada a cada 45 dias, podendo sofrer alterações ou não, e você pode acompanhar todos esses índices no site oficial do Banco Central.

E como isso se aplica ao financiamento Caixa?

Como você pode perceber, a taxa Selic tem impacto direto nas taxas praticadas dentro da modalidade de financiamento imobiliário com juros corrigidos pela poupança. Por isso, o banco determina uma taxa fixa (atualmente com índice a partir de 2,95% ao ano), que é somada ao rendimento da poupança.
Pensando no cenário atual, com a Selic a 6,25% ao ano e a taxa mínima do financiamento, teriamos juros de 2,95% + 4,38% ao ano (valor atual do rendimento da poupança), totalizando 7,33% ao ano.
Vale destacar que há um teto limite para a linha de financiamento imobiliário poupança, garantindo assim que as taxas não subam muito em caso de alta da Selic. Esse teto é de 10,16% ao ano.
Nesta modalidade, é possível garantir até 35 anos para pagar o financiamento imobiliário. Além disso, ainda há a possibilidade de utilizar o FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) para facilitar o pagamento em alguns casos específicos, como para compor o valor de entrada do financiamento, amortizar parcelas ou quitar o saldo devedor.
Existem alguns requisitos para usar o saldo do FGTS no financiamento, como ter pelo menos 3 anos trabalhados sob o regime (não necessariamente na mesma empresa ou por um período consecutivo) e não ter outro imóvel ou financiamento imobiliário ativo em seu nome.

Conheça outras linhas de financiamento Caixa

Além da modalidade ligada à poupança, a Caixa Econômica Federal conta com outras quatro linhas de financiamento imobiliário, incluindo o programa habitacional do Governo. Vem entender com a gente as taxas e benefícios disponíveis em cada uma dessas opções de crédito:

1. Linha de financiamento atrelada a TR

Uma das modalidades mais tradicionais da Caixa Econômica Federal, o financiamento imobiliário corrigido pela Taxa Referencial tem hoje uma taxa fixa que fica entre 7% e 8% ao ano, dependendo do perfil de cada cliente. Na prática, a linha pratica juros a partir de 7% ao ano + TR, mas vale lembrar que a Taxa Referencial está zerada desde 2017.
Quem escolhe essa linha de crédito, pode ter até 35 anos para pagar o financiamento, além de conseguir financiar até 80% do valor total do imóvel a ser adquirido. Vale ressaltar que as condições de pagamento variam de acordo com o cliente.

2. Linha de financiamento corrigida pelo IPCA

Antes de conhecermos as condições do financiamento, vamos explicar rapidamente o índice que serve como base nessa modalidade de crédito oferecida pela Caixa. Termômetro da inflação no país, o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) é medido mensalmente pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) como uma forma de avaliar a variação dos preços no mercado.
O IPCA de agosto registrou 0,87%, já o acumulado nos últimos 12 meses soma 9,68%. A Caixa é a única instituição financeira que oferece uma linha de crédito atrelada ao índice.
Atualmente, é possível encontrar juros a partir de 3,55% ao ano + IPCA nessa linha. Você pode financiar até 80% do valor do imóvel.

3. Linha de financiamento com taxa fixa

A Caixa Econômica Federal disponibiliza ainda uma opção de crédito imobiliário com taxa de juros fixa, o que significa que o índice pré-estabelecido pelo banco permanecerá o mesmo da assinatura do contrato até o fim do pagamento do seu financiamento. Isso pode ser uma ótima vantagem para quem deseja estabilidade e previsibilidade, mas é preciso considerar as taxas praticadas.
Atualmente, os juros para essa modalidade de financiamento imobiliário da Caixa ficam entre 8,25% e 9,75% ao ano, variando de acordo com o perfil de cada cliente.

4. Programa Casa Verde e Amarela

O programa Casa Verde e Amarela foi criado em 2020 para substituir o Minha Casa Minha Vida. A mudança não ficou apenas no nome e a atualização do programa habitacional do governo chegou com o objetivo de facilitar ainda mais o acesso à moradia para os brasileiros com renda mensal de até R$7 mil.
As taxas de juros e condições de pagamento são definidas de acordo com a renda mensal e o perfil de cada cliente. Para isso, o programa faz uma divisão de três grupos, entenda:

  • Grupo 1: atende famílias com renda mensal de até R$2 mil e apresenta taxas de juros de 4,25% ao ano para cotistas do FGTS ou de 5% ao ano para não cotistas.
  • Grupo 2: grupo voltado para famílias com renda mensal entre R$2 mil e R$4 mil, com taxa de juros de 5% ao ano para cotistas do FGTS ou de 7% ao ano para não cotistas.
  • Grupo 3: o último grupo é destinado às famílias com renda mensal entre R$4 mil e R$7 mil. Em setembro, o governo anunciou uma redução temporária nas taxas de juros desse grupo, que passaram de 7,66% para 7,16% ao ano para cotistas do FGTS. Já os mutuários não cotistas tiveram juros reduzidos de 8,16% ao ano para 7,66% ao ano. Os novos índices são válidos até 31 de dezembro de 2022.

As taxas compartilhadas aqui são válidas para as regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste do país. Para as regiões Norte e Nordeste, o programa disponibiliza juros reduzidos para os beneficiários do Grupo 1 e do Grupo 2.
Além das taxas, o mutuário do Casa Verde e Amarela pode receber subsídios do governo e utilizar o FGTS para facilitar o pagamento do financiamento.
Deu para perceber que a Caixa oferece opções para todos os bolsos e objetivos, não é mesmo? Agora que você já conhece melhor as linhas de financiamento imobiliário disponibilizadas pelo banco, compare as condições de cada uma e avalie o melhor negócio para o seu perfil.
Vale lembrar que consideramos as taxas de juros válidas na data de publicação deste post, mas elas podem sofrer variações, por isso é importante conferir diretamente com o banco todas as condições de pagamento antes de fechar contrato. Aproveite para conferir outros conteúdos no blog da Cataguá com dicas que vão te ajudar no planejamento rumo à casa própria.

https://catagua.com.br/financiamento-imobiliario-registra-recorde-em-2021
https://catagua.com.br/as-principais-formas-de-realizar-o-sonho-da-casa-propria


Rolar para cima