Como conquistar a casa propria ganhando pouco

Como conquistar a casa própria ganhando pouco?

Quem não sonha em conquistar a casa própria, não é mesmo? Se você pensa que precisa ter muito dinheiro na mão para tornar este sonho realidade, está muito enganado: você pode comprar um imóvel mesmo ganhando pouco e nós vamos te contar como!

Para conhecer os segredos desse investimento, continue a leitura deste post com a gente e confira dicas valiosas para conquistar a casa própria sem sentir o peso no bolso.

Dicas para conquistar a casa própria

Se você está se perguntando se é realmente possível comprar um imóvel mesmo ganhando pouco, a resposta é sim! Com um bom planejamento, pesquisa, foco e organização, o sonho da casa própria está mais perto de se tornar realidade do que você imagina.

Para te ajudar neste processo, listamos algumas dicas para conquistar a casa própria sem se enrolar nas dívidas. Olha só:

1. Organização financeira

O primeiro passo é a organização financeira. Anotar seus gastos, saber quanto você quer e pode investir, eliminar gastos supérfluos e guardar um dinheirinho todo mês são ações essenciais para quem deseja comprar um imóvel. 

Uma dica para fazer isso de forma bem simples é utilizar aplicativos de organização financeira: sempre que fizer uma compra, anote no celular e controle todos os seus gastos por ali. Veja o que pode ser reduzido ou até mesmo eliminado e o que precisa continuar. 

Outro passo que pode ajudar é investir o seu dinheiro, assim você garante um bom rendimento e pode ter até o dobro do valor quando fizer o resgate. Investimentos fixos, como o Tesouro Direto, que tem como base a taxa Selic, são uma excelente opção e vão te ajudar a guardar seu dinheiro de maneira mais eficiente para facilitar a conquista da casa própria.

2. Pesquise muito antes de comprar

A pesquisa é uma parte muito importante na sua busca pelo imóvel ideal. Além de avaliar o preço, tenha em mente todas as suas necessidades para poder analisar a condição física da propriedade: observe a localização, os serviços disponíveis próximos ao local, o acesso ao bairro, os cômodos e o estado estrutural do imóvel, incluindo instalações elétricas e hidráulicas. 

Se optar por comprar um imóvel na planta, pesquise sobre a construtora antes de fechar negócio, visite o local onde o empreendimento será construído e leia o contrato com muita atenção. Conhecer o decorado também é uma ótima forma de entender como vai ficar o imóvel como pronto e ter uma noção real de espaço, layout e outros detalhes do projeto.

3. Se livre das dívidas

Não ter restrições no CPF é um dos requisitos mais importantes para quem deseja comprar um imóvel por meio do financiamento imobiliário, portanto um bom começo para ajudar no planejamento financeiro é se livrar das suas dívidas. 

Tente negociá-las e pague tudo o que puder para deixar o orçamento mais livre no momento de investir no seu novo imóvel. Muitas vezes, é possível encontrar ofertas de negociação no próprio site do Serasa, mas as empresas também costumam oferecer boas condições de pagamento para te ajudar a quitar os débitos, então vale a pena entrar em contato e perguntar sobre as propostas disponíveis.

4. Conheça as opções de financiamento

O financiamento imobiliário é uma ótima saída para quem deseja investir em um imóvel, mas não tem muito dinheiro disponível para pagar à vista. As parcelas estendidas e que cabem no seu bolso ajudam muito, sem contar as outras condições facilitadas oferecidas pelas instituições financeiras.

O programa Casa Verde e Amarela, por exemplo, permite juros menores e subsídios do governo para ajudar no pagamento do imóvel. Voltado às famílias com renda mensal de até R$7 mil, o programa oferece financiamento com taxa de juros a partir de 4,5% ao ano e um prazo de até 30 anos para o pagamento. 

Além do Casa Verde e Amarela, ainda é possível encontrar linhas de financiamento com condições de pagamento variadas, por isso é preciso pesquisar. Neste contexto, as simulações podem ajudar a projetar como ficariam as suas parcelas e a taxa de juros antes de fechar negócio.

5. Considere todos os custos

Além do valor do imóvel ou das parcelas do financiamento, não deixe de incluir no seu planejamento financeiro outros gastos extras naturais no processo de compra de uma casa. O ITBI, o registro de imóveis, a mudança e até mesmo os custos para mobiliar o novo lar devem ser considerados.

Mesmo que eles não sejam gastos para o presente, calculá-los permite ter uma previsão dos custos e assim é possível fazer um planejamento financeiro, evitando surpresas no futuro e até mesmo garantindo a oportunidade de economizar. Quem opta pela compra de um imóvel na planta, por exemplo, pode adquirir móveis e eletrodomésticos aos poucos enquanto a casa está em construção.

Outro ponto interessante é que muitas linhas de crédito imobiliário permitem a inclusão de gastos com o ITBI e custos cartorários no contrato. Com isso, você paga os valores de forma diluída, junto com as parcelas do financiamento.

A importância do planejamento financeiro

Um bom planejamento financeiro é a chave para conseguir comprar um imóvel ganhando pouco. Ter controle sobre o dinheiro que entra e sai, sobre quanto você pode gastar e sobre os gastos que podem ser cortados é um grande passo rumo a casa própria.
Essas pequenas atitudes podem parecer irrelevantes, mas permitem que você tenha uma visão real da sua situação financeira e, consequentemente, maior controle sobre ela. Com isso, você consegue definir exatamente quanto pode usar no seu investimento imobiliário.
Se optar por um financiamento, por exemplo, poderá fazer uma simulação e encontrar o melhor valor para as parcelas conforme a sua situação financeira, sem que os pagamentos te apertem no final do mês.
Para que você consiga manter o foco e compre o seu novo lar sem dor de cabeça, trouxemos algumas dicas extras para facilitar o planejamento financeiro. Siga esses passos para organizar as finanças:

  • Coloque as contas em dia

    Como já falamos neste post, quitar débitos em aberto é um passo essencial para quem deseja fazer um financiamento imobiliário, mas colocar as contas em dia vai além disso. Pagar dívidas é o primeiro passo, depois disso é hora de colocar no papel seus rendimentos e gastos mensais para encontrar um equilíbrio no orçamento.
    O ideal é conseguir terminar o mês com algum dinheiro sobrando na conta e não a situação contrária. Para isso, procure separar os valores de contas mensais fixas, como internet e telefone, por exemplo, e deixe uma parte dos seus rendimentos para gastos variáveis e imprevistos.

  • Simples ações contribuem para a economia

    Além de organizar o seu dinheiro, distribuindo-o de maneira eficiente entre os seus gastos, é importante também economizar uma quantia mensalmente, atitude essencial principalmente para quem deseja comprar um imóvel. Se você acha que isso é difícil, não se preocupe: pequenas mudanças de hábitos fazem toda a diferença e te ajudam a economizar um bom dinheiro.
    Levar marmita de casa para o trabalho, diminuir os pedidos por delivery, buscar promoções no supermercado, andar a pé sempre que possível e até mesmo economizar energia elétrica no dia a dia são atitudes simples, mas que podem representar uma grande redução nos gastos no final do mês.

  • Definir metas ajuda muito

    A gente sabe que é sempre bom comer em um lugar diferente, comprar aquela roupa incrível ou passear para curtir os momentos de lazer, mas é importante encontrar um equilíbrio e definir prioridades para conseguir investir na casa própria. Uma boa forma de conseguir economizar para isso é traçar metas.
    Aqui é importante manter os pés no chão: determinar metas impossíveis é um dos grandes motivos da perda de foco no processo, por isso saiba o que está dentro das suas possibilidades e planeje de acordo com isso. Para manter o ânimo, defina uma recompensa para quando você atingir essa meta, como comer no seu restaurante favorito ou comprar aquela blusa que você tanto queria, por exemplo.

  • Separe o valor da parcela do financiamento

    Um erro muito comum é relaxar com a organização financeira depois de pagar as primeiras parcelas do financiamento imobiliário, mas manter o foco até o final do contrato (e depois dele também) é imprescindível. Garantir o pagamento das prestações em dia é fundamental para evitar multas, que podem dificultar a liquidação da dívida.
    A nossa dica é separar o valor da parcela do financiamento assim que o salário cair na conta e, se possível, já fazer o pagamento o quanto antes. Assim você não corre o risco de gastar esse valor por engano e evita o atraso das suas prestações.

  • Use o saldo do FGTS para amortizar prestações

    Um grande benefício nos financiamentos imobiliários é a possibilidade de utilizar o saldo do FGTS para amortizar prestações, para compor o valor da entrada ou até mesmo para quitar o débito.
    Para aproveitar essa vantagem é preciso estar com as parcelas em dia, ter recebido o FGTS por pelo menos três anos e não ter outro financiamento imobiliário ou imóvel residencial em seu nome.

Depois deste guia, o caminho para a casa própria ficou muito mais simples, não é mesmo? Aproveite para colocar essas dicas especiais em prática e comece uma nova vida no imóvel dos seus sonhos!


Rolar para cima