financiamento imobiliario

Saiba o que analisar na hora de escolher seu financiamento imobiliário

O financiamento imobiliário é um grande aliado na conquista da casa própria, mas você sabe como escolher a melhor linha de crédito para você? As instituições financeiras oferecem diversas opções com condições de pagamento distintas e é preciso analisá-las com calma para conseguir o negócio mais vantajoso de acordo com o seu perfil.
Com isso em mente, decidimos desenvolver um conteúdo especial para ajudar você que deseja encontrar o financiamento ideal para adquirir o seu lar com segurança e tranquilidade. Por isso, reunimos aqui alguns dos principais fatores que você não pode deixar de analisar no momento de escolher o seu crédito imobiliário.
Pronto para começar? Boa leitura!

Encontre o melhor financiamento imobiliário para você!

O financiamento imobiliário ainda é um dos caminhos mais utilizados pelos brasileiros para chegar até a tão sonhada casa própria. As linhas de crédito oferecem oportunidades de pagamento muito mais atrativas, facilitando a aquisição do imóvel para quem não tem dinheiro guardado para fazer uma compra à vista, por exemplo – afinal, a compra de um imóvel se trata de um investimento de alto valor.
Apesar de ser um ótimo auxílio para essa conquista, é preciso entender como funcionam as linhas de crédito disponíveis no mercado antes de fechar qualquer negócio. Existem várias opções oferecidas pelas instituições e cada uma conta com especificações diferenciadas entre si.
Taxas, juros, prazo para pagamento e valor máximo do imóvel são alguns pontos que variam de uma instituição para outra. Por isso, é indispensável que você faça uma pesquisa antes de escolher o seu financiamento, caso contrário você pode acabar fechando um negócio nada vantajoso para o seu perfil.
Pensando nisso, listamos alguns pontos que você não pode deixar de analisar na hora de escolher o seu financiamento de imóveis. Anote aí:

1. Analise e organize suas finanças

Ao fechar um financiamento imobiliário você se compromete com um investimento a longo prazo e deve honrar com o pagamento das parcelas, por isso é essencial colocar as finanças em dia antes de buscar a melhor linha de crédito para o seu perfil. O primeiro passo é negociar dívidas ativas, caso tenha alguma.
Um dos primeiros pontos analisados pelas instituições financeiras para a concessão do crédito é a situação do seu CPF: caso haja restrições, o financiamento não será aprovado. Para evitar este problema, consulte sua situação no Serasa e procure a melhor negociação para sua dívida.
Depois disso, coloque na ponta do lápis todos os seus gastos e sua renda para saber quanto pode investir no imóvel. Neste momento, verifique quanto tem disponível para entrada e quando pretende fechar negócio.

2. Considere o Custo Efetivo Total do financiamento

O Custo Efetivo Total, ou CET, é o principal valor a ser analisado no momento de escolher o seu financiamento imobiliário, pois ele engloba todos os custos cobrados pelos bancos. Muita gente analisa apenas as taxas de juros, mas é importante destacar que nem sempre a instituição com menor taxa oferece o melhor CET.
Ao avaliar o CET, você consegue saber o custo total do financiamento, considerando não apenas a taxa de juros, mas também os seguros, as taxas mensais e outras possíveis cobranças feitas pelo banco. Assim você pode analisar de maneira mais clara quanto da sua renda será comprometida e é capaz de selecionar as opções mais atrativas dentro de suas possibilidades financeiras.

3. Verifique as taxas de juros

O CET é uma das considerações mais importantes no momento de selecionar o financiamento ideal, mas isso não significa que você não deve analisar as taxas de juros, ok? Cada linha de crédito imobiliário oferece uma taxa diferente e elas podem variar muito de um banco para o outro, por isso essa análise deve fazer parte da sua pesquisa.
Muitas instituições apresentaram taxas mais atrativas ao longo de 2020 como uma forma de manter o mercado aquecido e também como consequência da queda da taxa Selic, por isso boas oportunidades não vão faltar: basta uma busca cuidadosa para fechar o melhor negócio.
A Caixa Econômica Federal, por exemplo, anunciou linhas com taxas mais baixas, inclusão de ITBI (Imposto de Transmissão de Bens Imóveis) e custos cartorários e ainda estuda lançar um financiamento com juros menores corrigidos pela poupança.

4. Analise todas as linhas de crédito com muita atenção

Assim como as taxas de juros variam de uma instituição para outra, as condições de pagamento também sofrem alterações. Prazo para pagamento, descontos e outras facilidades podem fazer toda a diferença neste momento, por isso é importante conferir com muita atenção as oportunidades disponibilizadas em cada linha de crédito.
Para entender melhor as condições oferecidas por cada instituição é preciso fazer muita pesquisa e esclarecer todas as dúvidas. Além disso, existe uma ferramenta capaz de auxiliar na visualização de como ficaria o seu financiamento, como veremos no próximo item desta lista.

5. Faça uma simulação do financiamento

Os simuladores de financiamento são excelentes aliados na busca pelo melhor negócio, por isso vamos te explicar um pouco mais sobre o funcionamento dessa ferramenta agora. Essa simulação vai te dar uma projeção das condições do seu crédito de acordo com dados fornecidos por você, como valor do imóvel e sua renda mensal.
Com esses dados, o sistema consegue apresentar a melhor linha de crédito disponível no banco de acordo com o seu perfil. Assim você pode descobrir as taxas, valor máximo do imóvel que poderá financiar e parcelas máximas de acordo com a sua renda.
As instituições financeiras costumam disponibilizar esses simuladores online, por isso basta acessar o site oficial dos bancos e preencher os dados solicitados para receber a sua projeção personalizada. Ah, vale lembrar que isso é apenas uma simulação e você ainda pode negociar para conseguir condições mais atrativas, principalmente se já tiver conta na empresa em questão e se apresentar baixo risco de inadimplência.

6. Escolha condições de pagamento de acordo com o seu perfil

É claro que você precisa escolher a melhor linha de crédito imobiliário de acordo com as suas possibilidades financeiras, mas também é preciso considerar as suas necessidades em relação ao novo imóvel. Se você tiver mais urgência na compra, pode ser interessante buscar empresas que ofereçam um processo mais ágil, por exemplo.
Se pergunte também quando pretende quitar o financiamento, se deseja juntar algum dinheiro antes para dar uma entrada maior, por exemplo. Lembre-se também que as instituições costumam aceitar um comprometimento máximo de 30% da sua renda mensal nas parcelas – quanto menor esse índice, mais tranquilo será para você pagar o seu financiamento, por isso faça os cálculos com calma antes de fechar negócio.

7. Conheça a instituição escolhida

Outro ponto muito importante é conhecer a instituição com a qual você vai fechar negócio. Como já falamos no item 5 desta lista, ter uma conta no banco pode te ajudar a conseguir um negócio mais atrativo, mas também pode gerar maior segurança em todo o processo por se tratar de uma empresa já conhecida por você.
Caso você encontre melhores condições com outra empresa ou até diretamente com a construtora, procure conhecer o histórico dessa instituição e buscar referências sobre ela. Tire suas dúvidas com os atendentes, visite o site, verifique depoimentos de outros clientes e leia atentamente seu contrato antes de assiná-lo.

E agora, como funciona o financiamento imobiliário?

Você já sabe o caminho para encontrar a linha de crédito mais vantajosa para você, mas e o processo do financiamento, como funciona? Nós vamos explicar isso para você também! Afinal, quanto mais você sabe sobre a transação, mais fácil fica decidir pela melhor oportunidade.
De maneira geral, entender o conceito do funcionamento de um financiamento de imóveis é bem simples: o banco ou a instituição autorizada emprestam dinheiro para que você possa adquirir o seu imóvel, então você devolve este empréstimo em parcelas com algumas taxas acrescidas ao valor. Agora vamos entender as etapas para que isto aconteça:

  • Solicitação: você pode solicitar o financiamento com um banco ou diretamente com a construtora, lembrando que não é preciso ter conta na instituição financeira para conseguir crédito, ok?
    Apresentação de documentos: a instituição escolhida por você pedirá uma série de documentos para conseguir analisar seus dados. CPF, RG, certidão de casamento e comprovante de renda são os principais.
  • Análise: com os documentos em mãos, a empresa fará uma análise dos seus dados para aprovar ou não a liberação do seu financiamento imobiliário. Aqui será verificado possíveis inadimplências e a sua capacidade de arcar com o valor das parcelas de acordo com a sua renda mensal.
  • Liberação do crédito: se estiver tudo certo com a sua documentação, o banco aprova o seu financiamento e logo libera o crédito para compra do seu imóvel. Pronto, agora é só manter a organização financeira para pagar as parcelas com tranquilidade enquanto aproveita o seu novo lar!

Agora ficou muito mais fácil entender o processo, não é mesmo? O financiamento de imóveis não é um bicho de sete cabeças, mas é preciso escolhê-lo com atenção para garantir o melhor negócio.
Não deixe de acompanhar o blog da Cataguá para conferir outras dicas valiosas para conquistar a sua casa!


Rolar para cima