financiamento imobiliário

Conheça as principais linhas de financiamento imobiliário

O financiamento imobiliário é um dos melhores caminhos para conquistar a tão sonhada casa própria, mas você conhece as linhas de crédito disponíveis no mercado? Hoje é possível escolher entre diversas modalidades de financiamento, mas é preciso conhecer e analisar a fundo as condições oferecidas por cada uma delas para garantir o melhor negócio.
Pensando nisso, desenvolvemos este conteúdo exclusivo para compartilhar com você quais são as principais linhas de financiamento imobiliário disponíveis atualmente e trazer algumas dicas para te ajudar a encontrar a melhor opção para o seu perfil. Continue a leitura para conferir!

Como funciona o financiamento imobiliário?

O crédito imobiliário é um empréstimo do banco para que você consiga comprar um imóvel com pagamento à vista. Você usa o dinheiro para pagar ao vendedor e depois devolve o valor para a instituição financeira de maneira parcelada dentro de um prazo pré-determinado.
Essa é uma ótima solução para quem não tem o dinheiro em mãos para adquirir o imóvel à vista, que é a forma de pagamento na qual o comprador tem maior poder de negociação. Com o crédito imobiliário, você pode conquistar a casa própria com ótimas ofertas de preço e condições facilitadas, já que o valor total do financiamento é parcelado.
Na prática, o financiamento imobiliário funciona assim:

  • Confira os requisitos

    O primeiro passo para conseguir um financiamento imobiliário é preencher os requisitos determinados pelos bancos. Eles podem variar de uma instituição para outra ou de acordo com a linha de crédito escolhida por você, mas no geral são esses:

  • Ter mais de 18 anos
  • Comprovar renda que demonstre a sua capacidade de pagar as parcelas do financiamento
  • Não ter restrições no CPF, nome em órgãos como o Serasa ou o SPC, por exemplo.
    Vale destacar que é preciso comprovar esses dados e quem opta por fazer a composição de renda deve verificar se todos os membros participantes da composição também estão dentro dos requisitos estabelecidos.
  • Simule os financiamentos

    Se você está dentro dos requisitos, é hora de buscar a melhor linha de crédito imobiliário para você. As simulações são uma ótima maneira de avaliar as condições oferecidas por cada banco de acordo com o seu perfil.
    Essa ferramenta serve para que você possa ter uma ideia de como serão os detalhes do seu financiamento, como valor da parcela, taxa de juros, prazo de pagamento e outras condições específicas com base nos dados fornecidos por você.
    É possível encontrar os simuladores nos sites oficiais dos bancos, mas se preferir pode fazer a sua simulação diretamente em uma agência com o acompanhamento de um atendente.

  • Entregue a documentação necessária

    Com a simulação e uma análise completa das condições de cada linha, você pode escolher o financiamento mais adequado para o seu perfil. O próximo passo é entregar a documentação solicitada pelo banco para dar início ao seu cadastro.
    Documentos como comprovante de renda, CPF, RG e comprovante de estado civil são alguns dos principais pedidos pelos bancos. Fique atento para não esquecer de nada ou entregar alguma documentação errada, pois isso pode atrasar o processo de liberação de crédito ou até mesmo levar à reprovação do financiamento.
    Em caso de composição de renda será necessário apresentar a documentação de todos os envolvidos, então procure se organizar para separar tudo com antecedência.

  • Aguarde a aprovação

    Com suas informações e toda a sua documentação em mãos, o banco inicia a análise de crédito para determinar se você tem ou não condições de dar continuidade ao financiamento imobiliário. Aqui são avaliados aqueles requisitos compartilhados no primeiro item dessa lista, como comprovação de renda.
    É também com base na sua documentação que a instituição financeira define as condições de pagamento para o seu financiamento. Grande parte das linhas de crédito não permite que as prestações ultrapassem 30% da renda mensal do mutuário, por exemplo, portanto o valor das parcelas será estipulado de acordo com a renda comprovada por você.

  • Pagamento das parcelas

    Com a aprovação do financiamento imobiliário, é hora de assinar o contrato e dar início ao pagamento das parcelas. É importante manter a organização financeira neste período para pagar em dia as suas prestações com o banco.
    É possível escolher dois sistemas de amortização para as parcelas. O primeiro é o SAC, que mantém o mesmo valor de amortização do início ao fim do parcelamento. Nestes casos, os juros são os únicos que sofrem alteração.
    O segundo sistema de amortização é o Price, que mantém o mesmo valor da parcela ao longo do financiamento. Funciona assim: as primeiras prestações são compostas por juros na maior parte, depois os juros diminuem e o valor de amortização sobe, sem alterar o valor da parcela.
    Ao fim do pagamento, a instituição emite um termo de quitação do imóvel. Vale lembrar que é possível antecipar parcelas ou até mesmo quitar o saldo devedor restante a qualquer momento e algumas linhas de crédito permitem o uso do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) para isso.

Financiamento x consórcio imobiliário

Muita gente ainda confunde o financiamento com o consórcio imobiliário, mas as duas propostas têm diferenças importantes entre si. Para começar, temos duas distinções principais entre as modalidades de compra: taxa de juros e o valor de entrada.
No financiamento imobiliário, é preciso fazer o pagamento de um valor de entrada, normalmente referente a 20% do valor total do imóvel, no ato da liberação do crédito. Em algumas situações é possível diluir essa quantia em algumas parcelas do financiamento, como é o caso da compra de imóveis na planta.
Além do valor de entrada, é preciso ficar atento às taxas de juros praticadas no financiamento, que variam de uma linha de crédito para outra. A nossa dica é sempre avaliar o CET (Custo Efetivo Total) para entender quanto exatamente você vai pagar pelo financiamento, incluindo juros e taxas administrativas.
Por outro lado, o consórcio imobiliário não exige um valor de entrada e também não tem taxa de juros. Apesar disso, é importante ter em mente que o consórcio cobra taxas administrativas.

Qual é mais vantajoso?

A primeira vista, o consórcio pode parecer bastante atrativo por não ter taxa de juros, mas é preciso entender como essa modalidade funciona para definir a melhor forma de pagamento de acordo com as suas necessidades.
Apesar desses benefícios, quem opta pelo consórcio imobiliário não tem acesso ao crédito tão rápido quanto no financiamento. Isso porque o consórcio funciona por sorteios mensais: você faz parte de um grupo e, mensalmente, o banco sorteia um membro deste grupo para liberar a chamada carta de crédito no valor previamente acertado.
É possível ser sorteado logo nos primeiros meses, mas também pode acontecer de receber a carta de crédito apenas ao final do período determinado no consórcio. Existe a opção de dar lances ao longo dos meses, mas apenas o lance mais alto garante a carta.
Ao contrário do que acontece no consórcio, o crédito é liberado logo após a assinatura do contrato no caso de financiamento imobiliário e você pode adquirir o seu imóvel com mais agilidade.

Encontre a melhor linha de financiamento imobiliário

Para definir qual é a melhor linha de financiamento imobiliário é preciso

1. Financiamento atrelado a TR

A primeira linha de financiamento desta lista é também a mais tradicional. A modalidade corrigida pela TR (Taxa Referencial) conta com uma taxa fixa + variação da TR, que está zerada desde 2017.
Confira como estão as taxas dessa linha de financiamento imobiliário nos principais bancos:

  • Itaú: no Itaú o financiamento atrelado a TR, a taxa de juros na data de publicação deste post apresenta índice a partir de 7,30% ao ano + TR. O banco financia até 90% do valor total do imóvel nesta categoria;
  • Caixa Econômica Federal: a linha da Caixa atrelada à Taxa Referencial apresenta índice a partir de 7% ao ano + TR. Aqui é possível financiar até 80% do valor total do imóvel;
  • Banco do Brasil: já no Banco do Brasil a taxa registra índice a partir de 6,55% ao ano + TR. É possível financiar até 80% do valor total do imóvel;
  • Santander: no Santander o financiamento imobiliário corrigido pela TR tem taxas a partir de 7,99% ao ano + TR com possibilidade de financiar até 80% do valor do imóvel.
  • Bradesco: no Bradesco, as taxas para essa modalidade são a partir de 6,90% ao ano + TR com possibilidade de financiar até 80% do imóvel.

2. Financiamento atrelado ao IPCA

O financiamento atrelado ao Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, mais conhecido pela sigla IPCA, o principal medidor da inflação brasileira, é oferecido apenas pela Caixa Econômica Federal.
Atualmente, as taxas de juros dessa linha de financiamento ficam a partir de 3,55% ao ano + IPCA. Nos últimos 12 meses, o IPCA acumulado é de 9,98%. Vale destacar que nessa modalidade de crédito é possível financiar até 80% do valor do imóvel.

3. Financiamento corrigido pela poupança

As linhas de financiamento imobiliário corrigidas pela poupança foram lançadas em 2020 e apresentam uma taxa fixa somada ao rendimento da caderneta de poupança, que equivale a 70% da Selic. Confira como ficam as taxas nos principais bancos:

  • Caixa Econômica Federal: as taxas de juros no financiamento da caixa atrelado a poupança ficam a partir de 3,35% ao ano + TR + rendimento da poupança, podendo financiar até 80% do valor total do imóvel;
  • Itaú: taxas de juros a partir de 3,45% ao ano + rendimento da poupança, podendo chegar a 90% do valor total do imóvel financiado.

Vale destacar que existe um limite de alta para a taxa de juros, que é de 6,17% ao ano, referente ao índice máximo da Selic.

Além destes, você ainda encontra o Casa Verde e Amarela, programa habitacional do governo disponível na Caixa com taxas de juros a partir de 4,5% ao ano, possibilidade de utilizar o FGTS e outros benefícios.
Agora que você já sabe tudo sobre financiamento imobiliário e conhece as principais linhas, aproveite para conferir outros conteúdos no blog da Cataguá com dicas para se planejar e escolher a melhor opção para você.


Rolar para cima