sair do aluguel

10 passos importantes para sair do aluguel

O seu sonho é sair do aluguel e ter uma casa para chamar de sua? Então você está no lugar certo: nós fizemos este post para descomplicar o processo e te ajudar a dar adeus ao aluguel de uma vez por todas!
A aquisição de um imóvel pode parecer um sonho distante, mas ao longo deste conteúdo você vai descobrir que existem muitas formas de realizar a compra sem ter dinheiro guardado e conquistar a casa própria vai deixar de ser um desejo para se tornar realidade.
Pronto para conferir o nosso passo a passo? Então continue a leitura com a gente e anote todas as dicas!

As vantagens de sair do aluguel e investir na casa própria

Antes de compartilhar com você os nossos 10 passos para sair do aluguel, vamos falar um pouco sobre as vantagens de investir na casa própria. Muito além da realização de um sonho, comprar o seu imóvel pode aumentar a qualidade de vida e trazer tranquilidade financeira para a família.
Isso tudo porque o investimento imobiliário é um dos mais seguros do mercado e ainda pode trazer um lucro financeiro significativo no futuro. A valorização deste bem ao longo dos anos é muito vantajosa, sendo possível vender o imóvel por um valor mais alto do que o pago na aquisição ou ainda lucrar com o aluguel do espaço. Possibilidades bem interessantes, não é mesmo?
Confira alguns outros benefícios trazidos pela compra da casa própria, além da liberdade do aluguel:

  • Construção de patrimônio financeiro
  • Maior liberdade e autonomia para mudanças no imóvel
  • Realização pessoal e mais qualidade de vida
  • Estabilidade, conforto e segurança para a família
  • Possibilidade de personalização do imóvel

10 passos para sair do aluguel

Depois dessa pequena conversa sobre os benefícios da casa própria, chegou a hora de compartilhar o tão aguardado passo a passo para sair do aluguel. O objetivo é tornar o processo muito mais acessível, prático, tranquilo e seguro para você, por isso listamos 10 dicas que consideramos essenciais.
Você vai ver que com um pouco de disciplina e organização fica muito mais fácil conquistar o seu imóvel e finalmente dar adeus ao aluguel. Então confira as nossas dicas a seguir e não deixe de colocá-las em prática depois:

1. Organize as finanças

Para começar, é essencial se organizar financeiramente antes de sair do aluguel. Isso significa dedicar um tempinho para listar seus gastos fixos e variáveis, entender a sua renda mensal e como você está gastando esse dinheiro.
A partir daí será possível definir um orçamento para compra do imóvel e até mesmo traçar metas para atingir o seu objetivo de forma mais rápida e tranquila. Para isso não vale apenas listar seus gastos e receitas sem manter o controle financeiro depois, ok?
Criar o hábito de anotar o dinheiro que entra e sai da sua conta pode parecer difícil no começo, mas depois se torna praticamente automático. Além disso, a prática é essencial para administrar a sua vida financeira da melhor forma possível, principalmente quando o seu objetivo é dar adeus ao aluguel e conquistar a casa própria.

2. Analise formas de economizar

Ao colocar na ponta do lápis todos os seus gastos e receitas, vai ficar bem mais fácil identificar custos desnecessários que podem se transformar em pontos de economia. Quanto mais você conseguir economizar, mais dinheiro terá para comprar o seu imóvel e, consequentemente, mais tranquilo será o processo.
Além de trazer mais segurança em um investimento imobiliário, a economia pode te ajudar a sair do aluguel muito mais rápido. A dica é encontrar gastos que possam ser substituídos por opções mais baratas ou que possam até mesmo ser cortados, pelo menos por um tempo.
Uma boa forma de garantir a disciplina na economia é definir metas e estipular um valor a ser guardado mensalmente. Esse dinheiro pode ser investido e ainda render muito mais para você, deixando o sonho da casa própria ainda mais próximo da realidade.

3. Evite dívidas

Já que estamos falando sobre organização financeira, não podemos esquecer uma dica muito importante: procure ficar longe das dívidas enquanto estiver economizando para comprar seu novo lar! As dívidas podem acumular, gerando grandes juros e ainda comprometendo o seu CPF no momento da liberação de crédito imobiliário, caso você escolha adquirir um imóvel por meio de financiamento.
Para evitar este tipo de problema, manter o controle financeiro é essencial. Pensar duas vezes antes de fazer um investimento que pode afetar sua renda também é muito importante: procure se organizar sempre ao início de cada mês para saber exatamente quanto vai guardar e quanto deve ser destinado às despesas fixas e qual valor ficará livre para gastar com outras coisas.
Caso você tenha alguma dívida no momento, procure formas de quitá-la antes de iniciar o processo de compra do imóvel. Negociar um valor para pagamento à vista pode ser muito vantajoso, por exemplo.

4. Use o saldo do FGTS

O saldo do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) pode ser utilizado apenas em algumas situações e a boa notícia é que a compra de imóveis é uma delas! Caso você não tenha dinheiro guardado para dar entrada no financiamento, este benefício pode agilizar as coisas e facilitar a aquisição.
Além de poder usar o FGTS como entrada para o financiamento imobiliário, você também conta com a opção de utilizar o valor para amortizar parcelas ou até mesmo quitar o saldo devedor. Para isso é preciso preencher os seguintes requisitos:

  • Ter pelo menos três anos de contribuição. Vale ressaltar que este período pode ser em empresas diferentes e não precisa ser contínuo;
  • Você não pode ter outro financiamento imobiliário em aberto
  • O imóvel a ser financiado deve ser registrado em seu nome
  • Você não pode ser proprietário de outro imóvel no município onde mora ou trabalha

Existe um valor máximo para o imóvel a ser financiado para que o FGTS seja liberado e ele pode variar de um estado para outro, por isso vale a pena consultar as regras diretamente com o banco. A Caixa Econômica Federal, instituição responsável pelo processo, libera o saldo em até cinco dias úteis após a apresentação e análise dos documentos.

5. Entenda suas necessidades

Muito além de economizar e se organizar financeiramente, a compra do seu imóvel deve se basear nas suas necessidades para que você encontre uma casa ou apartamento com todas as características desejadas. Fazer uma lista pode te ajudar a entender melhor este ponto.
Analise não apenas o que você deseja, mas também o que é indispensável em um imóvel para tornar o seu dia a dia mais funcional e confortável. Qual o tamanho ideal? Quantos quartos você gostaria de ter? Você quer ficar perto de algum lugar específico como trabalho, universidade ou escolas para os pequenos?
Essas e outras perguntas são essenciais para listar os principais fatores necessários para encontrar o imóvel ideal. A partir disso será muito mais fácil encontrar o lar dos seus sonhos.

6. Saiba qual a melhor forma de pagamento para você

Uma das maiores preocupações no momento da aquisição de um imóvel com certeza é o investimento financeiro, mas a boa notícia é que existem várias formas de comprar um imóvel e nós vamos te ajudar a encontrar a melhor para você!
Além do pagamento à vista, existem outras duas formas de conquistar o sonho da casa própria sem a necessidade de ter muito dinheiro guardado. Confira:

  • Consórcio imobiliário: nessa modalidade, você realiza um pagamento mensal definido de acordo com as suas condições financeiras e não há a necessidade de pagar uma entrada. As parcelas são fixas, mas para conseguir a chamada carta de crédito você precisa ganhar um dos sorteios realizados mensalmente ao longo do pagamento das parcelas.
    Você também pode fazer lances e antecipar a compra do imóvel. O valor do lance só será pago caso seja o vencedor e nestes casos pode vir de recursos próprios ou ainda ser descontado da carta de crédito (é o que chamamos de lance embutido).
  • Financiamento imobiliário: para financiar o imóvel é preciso atender alguns requisitos, que podem variar de uma instituição para outra, mas no geral estar com o nome limpo e fazer a comprovação de renda são os principais. Essa comprovação vai servir para mostrar ao banco que você pode pagar as parcelas do financiamento – que não podem ultrapassar 30% da renda mensal.
    Existem várias linhas de financiamento com taxas e condições de pagamento diferenciadas, por isso vale a pena pesquisar as melhores oportunidades para você antes de fechar negócio. No financiamento é preciso dar um valor de entrada, mas vale lembrar que existem formas de facilitar este pagamento, como o uso do FGTS.

7. Conheça as linhas de financiamento imobiliário

Como falamos no item anterior, você pode encontrar diversas linhas de financiamento imobiliário com condições específicas em cada instituição financeira. Alguns bancos oferecem prazos mais longos para o pagamento e taxas de juros mais baixas: para encontrar a opção ideal, você pode fazer uma simulação do financiamento.
A grande vantagem em relação ao consórcio imobiliário, por exemplo, é que você não precisa esperar para ser contemplado. Desde que você atenda aos requisitos exigidos, basta entregar a documentação solicitada pelo banco e o crédito é liberado para compra do imóvel.
Depois é só manter a organização financeira para pagar todas as parcelas com tranquilidade e sem atrasos. Lembre-se de pesquisar todas as opções para encontrar um financiamento compatível com as suas possibilidades, assim você pode comprar a casa própria sem sentir o peso no bolso.

8. Pesquise muito antes de fechar negócio

Essa dica não é válida apenas para encontrar a melhor forma de pagamento, mas também para a escolha do imóvel ideal. Encontrar um espaço para chamar de lar exige alguns cuidados importantes e nós listamos aqui os fatores que você não pode deixar de avaliar antes de comprar a casa própria:

  • Considere o preço da região escolhida
  • Verifique as condições estruturais do imóvel e a necessidade de reformas
  • Analise o entorno do imóvel, considerando a oferta de serviços disponíveis e a distância de pontos essenciais para você – como trabalho, escola das crianças ou proximidade aos familiares e amigos
  • Leve em conta o potencial de valorização do imóvel, assim você garante que o investimento possa trazer retornos significativos no futuro

9. Guarde dinheiro para gastos com documentação

Além do valor investido para a compra do imóvel em si, também é preciso pensar nos gastos com documentação. Ao adquirir uma casa, você precisa pagar custos cartorários como escritura e registro de imóveis, além do ITBI (Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis) – taxa paga na transação de imóveis.
Casas prontas para morar também podem exigir alguns gastos com manutenção, pequenos reparos ou reformas para deixar o espaço de acordo com as suas necessidades. Por isso é importante estar preparado.
A dica é guardar aquele dinheiro que você vai economizar mensalmente para estes fins, mas existem algumas formas de facilitar o processo. A Caixa apresentou a inclusão do ITBI e dos custos cartorários no financiamento imobiliário, por exemplo.

10. Investir em um imóvel na planta pode ser vantajoso

A compra de imóveis na planta é outra forma mais acessível de sair do aluguel. Apesar de precisar esperar um pouco mais para a construção ficar pronta, você vai contar com condições facilitadas de pagamento e maior flexibilidade de negociação.
O preço de uma casa ou apartamento na planta já é bem menor do que o valor de um imóvel pronto, mas o pagamento ainda conta com a vantagem do parcelamento e muitas construtoras apresentam condições bem acessíveis para te ajudar a conquistar a casa própria.
Outro ponto muito positivo é que você estará se mudando para um imóvel totalmente novo e com alto potencial de valorização. Você não precisa se preocupar com problemas de manutenção e ainda faz o investimento sabendo que o retorno financeiro no futuro poderá ser bem mais alto.

Sair do aluguel pode ser mais fácil do que você imagina: com um pouco de organização financeira e conhecimento sobre as opções disponíveis, o sonho da casa própria fica muito mais próximo da realidade!

Pronto para colocar o nosso passo a passo em prática? Conte com todas as dicas disponíveis no blog da Cataguá e boa sorte!


Rolar para cima