para nao errar saiba o que pode reprovar um financiamento imobiliario 1

Para não errar: saiba o que pode reprovar um financiamento imobiliário

O financiamento imobiliário é um auxílio importante para quem deseja conquistar a casa própria, mas é preciso cumprir alguns requisitos para conseguir o subsídio. 

A instituição financeira escolhida por você vai avaliar dados para checar as condições de pagamento e definir detalhes do financiamento. Essa avaliação vai determinar a aprovação ou não do seu crédito, por isso é importante conhecer as regras. 

Para saber o que pode reprovar um financiamento imobiliário, continue a leitura deste post com a gente e garanta a aprovação do seu crédito!

Garanta a aprovação do seu financiamento imobiliário

Os financiamentos são uma ótima forma de conquistar a casa própria mesmo ganhando pouco, mas podem se transformar em dor de cabeça quando algo dá errado com a documentação. A boa notícia é que você pode evitar o retrabalho burocrático e o atraso para a liberação do seu crédito. 

Para não ter problemas durante a contratação do seu financiamento, a dica é se organizar, conferir documentos e conhecer os critérios internos do banco escolhido por você. Faça um planejamento financeiro, saiba quanto você pode gastar e certifique-se de atender os requisitos solicitados pelo banco.

O que pode reprovar um financiamento imobiliário?

Apesar de ser um processo burocrático, a solicitação do seu financiamento imobiliário pode ser bem rápida e tranquila se você colocar a organização em prática e se planejar previamente. Para não ter erro, listamos os 3 principais motivos para reprovação do crédito, confira:

1. Restrição cadastral

Um dos principais motivos para a reprovação de crédito imobiliário é o famoso “nome sujo”. É importante resolver restrições no CPF, como a inclusão de nome no Serasa, antes de solicitar seu financiamento. 

Vale lembrar que a análise de CPF é feita para todos os membros que compõe a renda mensal comprovada para o banco. Portanto, se você optar pela composição de renda, deve certificar-se de que todos estão em dia com suas obrigações.

2. Renda mensal

Para o banco avaliar a sua capacidade de cumprir com o pagamento das parcelas é preciso comprovar a sua renda mensal. Isso pode ser feito por meio de extratos bancários, imposto de renda ou holerite, por exemplo.

A partir da análise dessa renda, o banco vai definir pela aprovação ou não do seu financiamento e também quais serão as suas condições de pagamento, lembrando que as parcelas não poderão ultrapassar 30% da renda mensal apresentada.

3. Score de crédito

O score de crédito nada mais é do que o seu histórico como consumidor: você recebe uma “pontuação” para que as instituições possam avaliar se você é ou não um bom pagador. Isso ajuda a definir a aprovação e as condições do financiamento. 

Com o Cadastro Positivo, lançado recentemente, essa avaliação ficou muito mais justa e agora não leva em conta apenas as suas contas atrasadas. Aqui é possível avaliar todo o seu histórico de pagamentos, o que permite um balanço geral do seu comportamento como consumidor. 

Como evitar a reprovação?

Agora que você já sabe o que pode causar a reprovação do seu pedido para financiamento, só falta descobrir o que fazer para ser aprovado, não é mesmo? Pensando nisso, listamos algumas dicas básicas, mas muito importantes.

Anote aí:

  • Regularize seu CPF

O primeiro passo é regularizar o seu CPF, caso tenha alguma pendência financeira registrada. Para verificar a sua situação é bem simples: basta acessar o site do Serasa, digitar o seu CPF e pronto!

Lá você pode encontrar informações sobre a dívida, valor e até mesmo ofertas de negociação para facilitar o pagamento. Elas costumam ser bem atrativas, por isso fique sempre atento. 

Se você não encontrar ofertas disponíveis, não se preocupe: ligue para a empresa e converse sobre as condições de pagamento para quitar a sua dívida. É muito comum conseguir parcelamentos e grandes descontos para valores pagos à vista. 

  • Mantenha a organização financeira

Não basta apenas regularizar o seu CPF, é preciso manter o controle financeiro para evitar novas dívidas, ok? Para isso, você deve ter organização e disciplina, mas a tarefa é mais fácil do que parece.

Para começar, liste todos os seus gastos e seus recebimentos: aproveite para identificar pontos em que você pode economizar. Uma vez feito isso, ficará mais simples controlar quanto do seu salário deve ser destinado às contas, quanto pode ser gasto com atividades variadas e quanto você pode investir no financiamento.

Ah, uma dica para manter essa organização financeira é anotar os valores que entram na sua conta e os que saem. Assim você otimiza o gerenciamento do seu dinheiro. 

  • Pesquise a melhor linha de crédito para você

As instituições financeiras disponibilizam diversas linhas de crédito com taxas de juros e condições de pagamento diferenciadas. Portanto, a nossa dica é uma só neste tópico: pesquise bastante antes de fechar negócio e não escolha nada por impulso. 

Pergunte no seu banco e verifique os benefícios oferecidos, compare com outras instituições e tire todas as suas dúvidas com atendentes para suas opções ficarem bem claras, assim você pode avaliar melhor cada uma delas e tomar uma decisão mais consciente. 

  • Faça simulações de financiamento

Uma ótima maneira para ter uma visão mais ampla das suas possibilidades é fazer uma simulação dos financiamentos oferecidos pelos bancos. Grande parte dessas simulações pode ser feita diretamente pela internet, portanto não tem desculpa: é tudo bem prático e rápido.

Para realizar o procedimento, basta preencher alguns dados como a sua renda mensal e o valor do imóvel desejado. Com essa projeção você pode conseguir informações importantes como prazo de quitação, valor de entrada e taxas cobradas. 

Vale lembrar que essas condições podem ser alteradas e você pode até conseguir negociações significativas quando for fechar negócio. Ah, consultar algumas plataformas de comparação pode ser interessante também.

  • Separe a documentação necessária antecipadamente

Com a vida financeira organizada e a linha de crédito definida, é hora de partir para a prática e cuidar da parte mais burocrática: a documentação. A lista de documentos solicitada pode variar de um banco para outro, mas é muito importante estar atento para entregar tudo corretamente. 

A nossa dica é fazer um checklist e não deixar nada para última hora: comece a separar documentos essenciais e tire cópias, caso necessário. Se surgir alguma dúvida, não hesite em perguntar para evitar confusões e atrasos no seu processo. 

Agora que você já conhece os principais motivos de reprovação, fica mais fácil se organizar e garantir a liberação do crédito para a conquista do sonho da casa própria. Que tal começar a se planejar agora mesmo?

Aqui no blog da Cataguá você encontra dicas exclusivas para realizar esse sonho de forma prática. Não deixe de conferir!


Rolar para cima