economia de energia

Economia de energia: 7 hábitos para inserir na rotina agora mesmo!

Nem sempre é fácil encaixar todas as contas no orçamento do mês, não é mesmo? A energia elétrica pode ser uma grande vilã para a vida financeira e para o meio ambiente, quando não se faz o uso consciente dentro de casa, por isso decidimos trazer algumas dicas de hábitos que vão te ajudar a reduzir os gastos e ainda contribuir para a preservação de recursos naturais.
Ficou curioso para descobrir como economizar energia em casa? Então acompanhe a leitura deste post com a gente para conferir quais ações diárias podem te ajudar nesta tarefa e ainda entender a melhor maneira de acompanhar e controlar seus gastos.
Boa leitura!

Como economizar energia?

Já imaginou o quanto você poderia economizar adotando algumas atitudes simples de consumo no dia a dia? Pois é, a mudança de hábitos pode fazer toda a diferença no final do mês e até permitir que você invista dinheiro em outros pontos, de maneira mais eficaz e consciente, a fim de melhorar o futuro da sua família.
Os gastos com energia elétrica são fixos e necessários: a conta vai chegar todo mês na sua casa, mas existem várias formas de reduzir esse custo, tornar o consumo mais consciente e conseguir economizar no final do mês.
Confira sete hábitos bem práticos que vão te ajudar na economia de energia para incluir na rotina assim que terminar a leitura deste post:

1. Reserve apenas um dia da semana para lavar roupas

A máquina de lavar é uma das grandes vilãs do consumo consciente e pode aumentar significativamente o valor da sua conta de energia. A boa notícia é que evitar esse desperdício – de dinheiro, água e energia – é bem simples: deixar as roupas acumularem para lavar tudo de uma vez é o melhor caminho para a economia.
Reserve um dia da semana para lavar todas as roupas e, caso precise lavar alguma peça com urgência, dê preferência para a lavagem manual sempre que possível. Outra dica para ter hábitos mais sustentáveis é reaproveitar a água da máquina: hoje, muitos equipamentos já vem com essa opção nas configurações, permitindo que você armazene a água no momento indicado e possa utilizá-la da maneira que preferir depois.

2. Não deixe aparelhos em stand by

Você deixa os seus aparelhos eletrônicos e eletrodomésticos sempre ligados na tomada? Esse é um hábito muito comum e que parece prático, mas que também pode elevar os gastos com energia elétrica.
Mesmo em modo stand by, os equipamentos consomem energia e podem pesar na conta no final do mês. A dica é manter aparelhos como o microondas, a televisão, a máquina de lavar e outros aparelhos fora da tomada enquanto não estiver usando.
A mesma dica é válida para as luzes da casa: evite deixá-las acesas sem necessidade e lembre-se de apagá-las ao sair de um cômodo, por exemplo.

3. Evite ficar muito tempo no chuveiro

Quem não gosta de um banho quentinho e demorado para relaxar no final do dia, não é mesmo? Apesar de ser muito gostoso, esse banho vai sair caro nas contas de água e energia, além de ser um grande desperdício de recursos naturais e portanto prejudicial ao meio ambiente.
Reduzir o tempo de banho não apenas vai ajudar a economizar energia, mas também vai contribuir para inserir hábitos mais conscientes na rotina. Uma boa forma de diminuir os gastos é optar pela opção “morno” no chuveiro ou ainda desligar o aparelho enquanto se ensaboa ou passa produtos no cabelo, por exemplo.

4. Aproveite o máximo possível da iluminação natural

Além de reduzir o uso de energia elétrica, o aproveitamento inteligente da luz natural contribui para criar ambientes muito mais aconchegantes em casa. Para isso, evite acender as luzes durante o dia, por exemplo, deixando as janelas abertas para a entrada da iluminação solar o máximo possível.
Outra maneira de aproveitar melhor a luz natural é posicionar seus móveis e aparelhos de forma estratégica: evite deixá-los no caminho da luz e escolha locais adequados para cada peça a fim de que não seja necessário utilizar uma iluminação artificial.
Escolher um espaço bem iluminado para fazer o seu home office ou cantinho de estudos, por exemplo, é essencial para que você não precise deixar as luzes ligadas durante o dia para conseguir executar as tarefas.

5. Dê preferência para as lâmpadas de LED

Infelizmente, a luz natural não está presente 24 horas por dia, por isso as luzes artificiais se fazem necessárias em algum momento para iluminar os ambientes da casa. Mesmo assim, existem maneiras de economizar energia e a principal delas é optar por materiais mais eficientes e sustentáveis.
As lâmpadas de LED, por exemplo, geram muito mais luz com a mesma quantidade de energia utilizada por outros modelos, como as fluorescentes ou as lâmpadas comuns. Além disso, elas possuem alta durabilidade, o que significa que você não vai precisar gastar dinheiro trocando de lâmpada toda hora e assim também diminui o descarte de material no ambiente.

6. Verifique seus eletrodomésticos

Será que os seus eletrodomésticos não estão consumindo mais energia do que deveriam? É uma boa ideia conferir o gasto de cada um, pois pode ser interessante substituir o equipamento por outro de consumo energético mais consciente.
Os aparelhos estão cada vez mais funcionais e as opções mais modernas trazem soluções sustentáveis que vão te ajudar a economizar e ainda contribuir para o meio ambiente. Um modelo mais antigo de ar condicionado, por exemplo, costuma consumir muito mais energia do que um modelo novo.
Para definir se está na hora de trocar algum eletrodoméstico na sua casa, a nossa dica é checar a média de consumo do produto. Você pode fazer isso multiplicando a potência do eletrodoméstico pelo tempo de utilização ou ainda conferindo a tabela criada pelo Procel (Centro Brasileiro de Informação de Eficiência Energética).

7. Confira a bandeira tarifária do seu estado

A bandeira tarifária demonstra os custos reais da sua conta de energia, por isso pode ser uma ótima maneira de acompanhar os seus gastos e entender em quais pontos você pode reduzir o uso energético e economizar.
Ainda neste post vamos explicar mais sobre a bandeira tarifária, como funciona o sistema e como você pode usá-lo para controlar os seus gastos e administrar de maneira mais consciente o uso de energia na sua casa, portanto siga a leitura com a gente até o fim!

O que é e como funciona a bandeira tarifária?

Entender como você está gastando o seu dinheiro e saber exatamente para onde ele está indo é uma das melhores formas de manter a organização financeira, e é neste ponto que a bandeira tarifária pode te ajudar.
Antes de explicarmos como ela funciona, precisamos compreender como a energia é cobrada. As hidrelétricas são responsáveis por gerar energia às cidades brasileiras e utilizam água para atender a demanda, por isso em tempos de seca, quando os reservatórios ficam mais baixos, as usinas acabam produzindo menos energia também.
Neste cenário, as termelétricas passam a ser necessárias para atender a demanda, o que aumenta o custo de produção de energia – aumento este que é repassado à você, consumidor final. Por isso os valores da conta de energia elétrica podem variar bastante ao longo do ano.
Para que você consiga saber exatamente quanto está gastando, o sistema de bandeira tarifária foi criado e funciona de maneira bem simples: por meio de uma divisão de cores, é possível saber se o consumo de Kilowatts-hora (KWh) está baixo, médio ou alto. A partir dessas cores, você consegue calcular essa relação de Kilowatts-hora e identificar pontos onde o consumo está exagerado.
Entenda como funciona o sistema de cores da bandeira tarifária para calcular os seus gastos mensais e encontrar maneiras de economizar:

  • Bandeira verde: se você ver a bandeira verde, saiba que as condições para produção de energia estão normais e a sua conta não sofrerá nenhum reajuste;
  • Bandeira amarela: a cor amarela significa que as termelétricas estão trabalhando, portanto a geração de energia se torna um pouco mais cara. Sendo assim, haverá um reajuste e serão cobrados R$1,50 por cada 100 KWh;
  • Bandeira vermelha: a bandeira vermelha se divide em dois níveis. O patamar 1 indica uma alta demanda e, consequentemente, alta nos gastos para produzir mais energia: na conta, você verá um reajuste de R$4 a cada 100 KWh.

Já o patamar 2 indica um trabalho ainda mais intenso das termelétricas, o que reflete em um reajuste de R$6 para cada 100 KWh.
Vale lembrar que o sistema de cores pode variar de um estado para o outro e os repasses em relação aos reajustes, feitos pela ANEEL, também podem sofrer alterações.
A boa notícia é que agora você está preparado para economizar e adotar hábitos mais sustentáveis de consumo em casa. Com as dicas deste post, você vai manter a economia de energia em qualquer bandeira tarifária e ainda vai contribuir muito para a preservação de recursos naturais!
Vamos juntos colocar estes hábitos conscientes em prática? Se você tem outras maneiras de economizar energia na sua casa, compartilhe nos comentários com a gente também!


Rolar para cima