descubra os erros que te impedem de sair do aluguel 1

Descubra os erros que te impedem de sair do aluguel

O aluguel pode parecer uma saída fácil, mas também pode se tornar um grande peso nas despesas mensais. É exatamente por isso que uma grande parte dos brasileiros sonha em sair do aluguel, mas algumas atitudes podem impedir de tornar esse sonho uma realidade.

Neste post, vamos explicar quais são os principais erros que impossibilitam a conquista da casa própria. Você vai perceber que bastam alguns novos hábitos para te livrar do aluguel de uma vez por todas!

Para te livrar desses erros, vamos compartilhar algumas dicas práticas sobre como sair do aluguel ao longo deste conteúdo. Com elas, será muito mais fácil alcançar um grande sonho: ter a casa própria. 

Então continue a leitura com muita atenção e aproveite todas as nossas dicas exclusivas!

4 erros que te impedem de sair do aluguel

Para saber o que você precisa mudar nos seus hábitos para sair do aluguel e comprar a casa própria é preciso identificar atitudes que podem impedir esse processo. Então que tal começarmos por aí? 

Listamos aqui 4 erros que você pode estar cometendo – muitas vezes sem nem perceber – e que podem atrasar o sonho de comprar um imóvel todo seu. Caso você se identifique com algum dos itens, fique tranquilo: mais a frente vamos te contar como corrigir esses erros. 

Você vai perceber que são comportamentos bem comuns e aparentemente irrelevantes, mas quando paramos para analisar é possível ter uma visão mais ampla do cenário e perceber o quanto eles podem prejudicar a compra da casa própria. 

Confira quais são esses erros:

1. Medo de fazer um investimento

Um dos maiores inimigos da realização de um sonho é o medo e ele é muito comum quando pensamos em fazer um investimento de longo prazo. O desejo de sair do aluguel e conquistar a casa própria pode ser impedido pelo receio de não conseguir pagar pelo investimento de um imóvel, mas basta um pouco de planejamento para tornar o sonho uma realidade.

Com um bom planejamento financeiro você consegue se livrar do aluguel e comprar um imóvel sem passar aperto no final do mês. Outro ponto positivo é que, ao contrário do aluguel, você está investindo em algo que será seu e pode te dar um ótimo retorno no futuro.

Além disso, hoje existem ferramentas que facilitam a compra de um imóvel, como os financiamentos imobiliários. Investir em um imóvel é um grande passo, mas com disciplina e organização você pode comprar a casa dos seus sonhos com tranquilidade e segurança.

2. Falta de planejamento e organização financeira

No item anterior falamos um pouco sobre a importância do planejamento financeiro para comprar um imóvel, certo? Bom, organizar as finanças é o primeiro passo para o investimento funcionar. 

A falta de organização é uma grande inimiga nessas horas, pois você pode acabar gastando mais do que tem e assim acumular dívidas que atrapalham a aquisição da casa própria. 

É muito importante identificar gastos desnecessários para conseguir economizar e juntar dinheiro ou pagar as parcelas do financiamento com mais tranquilidade. O segredo para isso é ter controle financeiro: anote seus gastos para saber onde está aplicando seu dinheiro.

3. Gastos desnecessários

Vamos dedicar este item para continuar nosso papo sobre os gastos desnecessários, já que eles são um dos maiores problemas quando o assunto é organização financeira. Mesmo o que parece muito pouco no dia a dia pode representar uma grande quantia quando colocamos na ponta do lápis.

Vamos entender melhor: sabe aquele cafezinho que você adora tomar na padaria antes de ir para o trabalho e custa apenas R$3,00? Então, ele não parece um grande gasto no dia a dia, mas se você somar todos os cafezinhos consumidos no ano ultrapassa R$1.000,00.

Agora imagine se você tomar café na empresa ao invés de ir todo o dia para a padaria? Pode parecer pouca coisa, mas essa economia pode ser aplicada no seu imóvel e fazer toda a diferença no investimento. 

4. Desconhecer suas opções

Muita gente ainda não conhece todas as opções disponíveis na hora de comprar um imóvel e por isso acaba deixando de investir. A boa notícia é que adquirir uma casa não é impossível quanto muitos acreditam: hoje existem diversos caminhos para facilitar o processo.

A melhor delas ainda é o financiamento imobiliário e você pode encontrar uma variedade de linhas de crédito nos bancos com condições diferenciadas. Cada instituição possui uma taxa de juros, um prazo para pagamento e outras possibilidades para te ajudar no processo.

O financiamento pode te ajudar a conquistar a casa própria mesmo que você não tenha uma grande quantia em dinheiro guardado, ainda é possível contar com outras opções como o consórcio imobiliário. É importante pesquisar muito para encontrar a melhor oportunidade de negócio para você.  

Bom, agora deu para entender claramente como essas atitudes podem atrapalhar o seu sonho de sair do aluguel, não é mesmo? Por menores que eles pareçam, é importante encontrar maneiras de substituir os erros por hábitos que vão te ajudar na compra da casa própria, como mostraremos a seguir. 

Passo a passo sobre como sair do aluguel

Já falamos sobre os erros, então não poderíamos deixar de dar algumas dicas para te ajudar a sair do aluguel de uma vez por todas, não é mesmo? Agora nós vamos te mostrar que é possível comprar uma casa sem ter dinheiro guardado, adotando práticas bem simples no dia a dia. 

Listamos 4 passos muito fáceis – e também muito poderosos – para que você possa comprar um imóvel com total tranquilidade e sem preocupar com imprevistos financeiros pelo caminho. Pode ficar tranquilo: sair do aluguel pode ser muito mais fácil do que você imagina e nós vamos te ajudar. 

Anote nossas dicas e prepare-se para dar adeus ao aluguel: 

1. Organize as finanças

Nós já conversamos um pouco sobre a organização financeira e você já entendeu a importância dela, certo? Então agora vamos te dar dicas práticas de como organizar as finanças. 

O primeiro passo é colocar tudo na ponta do lápis: anote quanto você recebe e quanto você gasta, incluindo seus gastos fixos (como conta de água, luz, internet) e os gastos variáveis atuais (aquela pizza que você pede em casa ou aquela roupa que você comprou, por exemplo). 

Depois disso, pense no quanto você teria que gastar para adquirir a casa própria com as características que você deseja. O próximo passo é analisar os gastos supérfluos, como veremos no item a seguir.

2. Corte gastos e defina metas

Pegue essa lista com todas as suas despesas e análise para onde o seu dinheiro está indo. Percebeu que está gastando muito com comida? Que tal comprar os ingredientes e cozinhar mais em casa, por exemplo?

Este é o momento de identificar gastos que podem ser cortados e formas de economizar. Todo esse dinheiro poderá ser investido na sua casal e vai tornar a compra muito mais fácil. 

Também é muito importante definir suas metas, pois elas te ajudarão a ter mais controle e organização financeira. Se você decidir quitar uma dívida em cinco meses, por exemplo, você saberá exatamente quanto precisa economizar para isso.

Assim você pode encontrar o melhor caminho para fazer essa economia e conseguir quitar a dívida no prazo estabelecido. O mesmo raciocínio vale se a sua meta for  guardar dinheiro para dar entrada em um imóvel, por exemplo.

Mas nada de estabelecer metas impossíveis, ok? Analise o seu orçamento com cuidado e mantenha os pés no chão para definir planos dentro de suas possibilidades financeiras.

3. Pesquise muito

A pesquisa é uma etapa muito importante no processo de compra de imóveis: ela vai te ajudar a encontrar o melhor negócio de acordo com o seu orçamento. Para isso, pesquise opções de financiamento imobiliário, preços dos imóveis e condições de pagamento oferecidas. 

A dica de pesquisas também se estende para o seu dia a dia em compras gerais, pois é uma das maneiras mais efetivas de reduzir os seus gastos. Para comprar bem é essencial pesquisar muito os preços de produtos antes de comprá-los, assim como aproveitar os descontos oferecidos pelas empresas.

Comprar um casaco costuma ser bem mais barato no verão do que no inverno, por exemplo. Pode parecer um gasto desnecessário no momento, mas se você sabe que vai precisar fazer essa compra depois, por que não aproveitar uma oferta e economizar ao invés de pagar mais caro pelo produto no futuro?

4. Aposte no financiamento imobiliário

Por último, mas não menos importante: ao contrário do que muita gente pensa, não é preciso passar anos juntando dinheiro para comprar uma casa à vista. O financiamento imobiliário pode ser a ajuda que faltava para você comprar a sua casa própria e finalmente dar adeus ao aluguel. 

Ao longo dos anos, o mercado imobiliário criou muitas maneiras de facilitar a aquisição de imóveis como uma forma de impulsionar o desenvolvimento do setor e você só tem a ganhar com isso!

Falamos sobre a importância de conhecer suas opções, por isso vamos listar agora as principais linhas de financiamento imobiliário para você. Confira:

  • Programa Casa Verde e Amarela: com juros bem mais baixos, prazos maiores para pagamento, parcelas menores e com condições muito acessíveis para o bolso, o Casa Verde e Amarela é um financiamento da Caixa criado pelo Governo Federal.

Você pode fazer uma simulação no site da Caixa para descobrir em qual Faixa do programa você se encaixa e quais serão suas condições de pagamento. Assim é possível verificar se essa realmente é a melhor opção de financiamento para você. 

  • Financiamentos com construtoras: se você optar por comprar um imóvel na planta, essa pode ser a melhor opção. Além de comprar um apartamento ou uma casa totalmente novos (com design mais moderno e sem problemas estruturais), você tem a vantagem de contar com alternativas para facilitar a entrada e o pagamento do financiamento. 

Além dos benefícios de adquirir um imóvel novo, você ainda pode ganhar itens de acabamento ou decoração como um adicional oferecido pela construtora. Essa é uma atitude comum e ajuda a economizar com esses detalhes, por isso vale a pena conferir as oportunidades disponibilizadas pela empresa. 

  • Financiamentos com instituições financeiras: além do programa Casa Verde e Amarela da Caixa Econômica Federal, você pode encontrar linhas de crédito em outras instituições financeiras. As taxas e condições de pagamento variam de um banco para outro e você pode escolher aquela que melhor se encaixa no seu perfil financeiro. 

Aqui vale reforçar a importância de pesquisar bastante e analisar as propostas de cada banco com muita atenção: compare todos os detalhes para encontrar a opção mais vantajosa dentro de suas possibilidades financeiras. 

Você também pode fazer simulações como aquela que citamos no Casa Verde e Amarela para visualizar melhor o pagamento e as condições do financiamento. Assim você não corre o risco de ultrapassar seu orçamento ou de ter surpresas com valores ao longo do pagamento. 

  • Consórcio imobiliário: o consórcio é um pouco diferente do financiamento, pois tem parcelas fixas (que não sofrem a incidência dos juros) e também não requer uma entrada como a maioria das linhas de financiamento. Por outro lado, a aquisição do imóvel pode ser mais demorada nessa modalidade. 

Essa demora acontece porque o momento de contemplação com a carta de crédito é indefinido: você pode recebê-lo em dois meses ou lá no final do pagamento do consórcio imobiliário. 

Portanto, se você optar por essa categoria tenha em mente que não adianta ter pressa, é preciso ter paciência. Já se você não quer esperar muito tempo para se mudar, outras opções podem ser mais interessantes do que o consórcio. 

Bom, essa foi a nossa última dica para te ajudar neste processo tão importante. Ao longo deste conteúdo identificamos os principais erros que te impedem de sair do aluguel e compartilhamos dicas importantes para conquistar a casa própria de forma tranquila. Agora é com você!

Está pronto para se livrar do aluguel? Então coloque todos os passos lidos neste post em prática e invista na sua casa própria com muito mais segurança!

 


Rolar para cima