Como o financiamento te ajuda a conquistar a casa propria

Como o financiamento pode te ajudar a conquistar a casa própria

O financiamento imobiliário é a principal ponte entre os brasileiros e o sonho da casa própria, e se mostra a melhor opção para quem deseja investir, mas não tem condições de pagar um imóvel à vista.

As condições diferenciadas de pagamento tornam o investimento bem mais acessível, por isso a adesão a financiamentos cresce cada vez mais. Pensando nisso, desenvolvemos este post para contarmos um pouco mais sobre as vantagens dos programas disponíveis.

Quer saber como o financiamento imobiliário pode te ajudar a conquistar a casa própria? Então continue a leitura com a gente!

Conheça as opções de financiamento imobiliário disponíveis

Normalmente, os financiamentos imobiliários são oferecidos pelos bancos, que disponibilizam a quantia necessária para que você possa adquirir o seu imóvel. Eles funcionam como um empréstimo, portanto você precisará devolver o valor em um prazo determinado e com uma correção de juros.

A grande vantagem é que você parcela este valor e pode ter um prazo bem maior para quitar o pagamento total: alguns financiamentos permitem um período de até 360 meses, o que diminui bem o valor das prestações e facilita a quitação do crédito.  

Na maioria dos casos, o valor das parcelas tende a ficar menor ao longo do tempo, mas tudo vai depender do tipo de financiamento e das regras da instituição escolhida por você.

Tipos de parcelamento e financiamento imobiliário

Para saber qual é a melhor escolha para você, listamos os principais tipos de parcelamento e financiamento imobiliário disponíveis no mercado. Olha só quais são eles:

1. Parcelamento direto com a construtora

Se você quer mais flexibilidade na negociação em curto prazo, essa é a melhor opção para você. Ao firmar um parcelamento direto com a construtora responsável pelo empreendimento, o cenário mais comum é fechar um imóvel na planta, o que ajuda ainda mais na economia.

Esse tipo de imóvel costuma ter valores de venda bem atrativos e condições de pagamento mais flexíveis, por isso vale a pena considerar essa opção. Avalie com a construtora os requisitos necessários para a compra de imóveis na planta por meio do parcelamento direto.

2. Programa Casa Verde e Amarela

O programa Casa Verde e Amarela é uma iniciativa do Governo Federal, criada para substituir o Minha Casa Minha Vida, antigo programa habitacional do governo. Ele é um dos principais tipos de financiamento imobiliário e também um dos mais vantajosos.

Os diferenciais de taxa de juros reduzida e prazo estendido para pagamento das parcelas atraem muitos compradores, além de outras facilidades nas condições do financiamento. Vale ressaltar que essa modalidade atende famílias com renda mensal de até R$7 mil e os detalhes de pagamento variam de acordo com o perfil de cada cliente.

3. Financiamento pelo SBPE

Outra opção de financiamento é por meio do SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo). Com ele, você não tem um limite de renda e nem para o valor do imóvel que irá adquirir. Os juros dessa modalidade estão na média de 8,5% ao ano.

É importante ressaltar que o crédito aqui possui garantia por alienação fiduciária, ou seja: se você não pagar suas parcelas, o banco pode tomar o seu imóvel. Por isso, faça as contas e se planeje antes de fazer seu investimento pelo sistema SBPE.

4. Financiamento com FGTS

Dentre os tipos de financiamento imobiliário, o uso do saldo do FGTS pode ser uma ótima opção para quem não tem muito dinheiro em mãos. Você pode usar o valor para dar entrada em um imóvel e amortizar ou quitar parcelas do seu financiamento, por exemplo.

Para optar por este modelo, você terá algumas alternativas de programas habitacionais: carta de crédito individual ou associativa, pró-cotista, pró-moradia ou programas como o Minha Casa Minha Vida. Além disso, será preciso preencher alguns requisitos para usar o FGTS na compra de imóveis.

Como escolher o melhor financiamento imobiliário?

1. Pesquise sem pressa

A pressa para comprar um imóvel pode ser sua grande inimiga no processo de escolha do financiamento imobiliário e pode te levar a fechar um negócio nada vantajoso para você. Por isso, a nossa primeira dica é: faça tudo com muita calma!

A pesquisa é parte essencial em qualquer processo de compra, principalmente quando se trata de investimentos mais altos, como é o caso dos imóveis. A verdade é que fechar um financiamento sem checar valores e condições de pagamento com calma pode acabar trazendo prejuízos no futuro. 

O mesmo vale para a pesquisa de imóveis: lembre-se de que a casa ou o apartamento deve atender às suas necessidades e desejos, além de estar dentro do orçamento disponível. Para ajudar, faça uma lista das características que você busca, pesquise preços nos seus bairros preferidos e filtre os imóveis mais adequados para você.

2. Organize-se Financeiramente

Outro ponto muito importante é a organização financeira, não apenas antes da compra, mas ao longo do pagamento das parcelas do seu financiamento também. O primeiro passo aqui é colocar sua renda e seus gastos na ponta do lápis para entender com clareza exatamente quanto você pode investir mensalmente sem prejudicar outras contas essenciais.

Depois disso, procure resolver qualquer pendência financeira que possa impedir a liberação de crédito imobiliário em seu nome. Uma vez resolvido este problema, é hora de se planejar para não passar aperto na hora de pagar as parcelas do seu financiamento: as próximas dicas vão te ajudar com isso, então siga a leitura.

3. Análise de Condições Oferecidas

Existem várias linhas de financiamento imobiliário disponíveis no mercado, o que muda entre elas são as taxas de juros praticadas e os benefícios oferecidos nas condições de pagamento. São estes pontos que você deve analisar para garantir o fechamento do melhor negócio para você – e para o seu bolso também!

É importante pesquisar as linhas com calma, verificando se as condições oferecidas se encaixam com o seu perfil financeiro e são vantajosas para você. Uma boa dica é começar pelo banco em que você já é cliente, pois é comum instituições disponibilizarem benefícios exclusivos para quem tem conta ativa com elas. 

4. Verifique o CET

Muita gente foca apenas nas taxas de juros do financiamento quando está comparando uma linha de crédito com outra, mas a verdade é que existem outros custos envolvidos no processo para os quais você deve estar atento. Neste contexto, o ideal é verificar o CET disponibilizado pela instituição.

Mas o que é CET? CET é sigla para Custo Efetivo Total, que engloba todos os encargos envolvidos no processo de financiamento imobiliário. Isso inclui não apenas os juros, mas também outras taxas e despesas de uma operação de crédito: o CET vai dizer o total exato que você vai gastar na transação.

5. Faça as simulações

As instituições possuem ferramentas muito úteis para te ajudar a encontrar a melhor linha de financiamento imobiliário para você, sendo as simulações a principal. Ao simular o seu crédito, você pode ter uma ideia de quais serão os seus gastos, taxa de juros, prazo para pagamento e outras condições de acordo com o seu perfil.

Basta preencher alguns dados e uma previsão com essas informações é repassada à você. É possível simular financiamento imobiliário em diferentes bancos e com diferentes linhas, o que pode ajudar a comparar as opções e chegar a uma conclusão com mais clareza.

Ah, não se esqueça de que ainda é possível conseguir negociar alguns pontos com o banco. A simulação pode servir como base para escolha da instituição e da melhor linha de crédito, mas não deixe de tirar suas dúvidas com um atendente e verifique se existe a possibilidade de conseguir outros benefícios antes de fechar contrato.

6. Atente-se a documentação

Nem todo mundo gosta da parte burocrática, mas ela faz parte do processo e a entrega da documentação é essencial para a aprovação do seu financiamento imobiliário. Atrasos ou erros nos documentos podem atrasar a liberação do crédito, por isso é muito importante estar atento à lista solicitada pela instituição de sua escolha.

Um dos principais documentos para essa transação é o comprovante de renda, que vai garantir ao banco a sua capacidade de arcar com as despesas do financiamento, além de ajudar a definir algumas condições de pagamento, como prazo para pagamento e valor da entrada, assim como das parcelas, por exemplo.

7. Pesquise sem pressa

Essa pode parecer uma dica óbvia, mas na emoção do momento muita gente esquece da importância de ler cada linha do contrato com atenção redobrada. É importante conferir se tudo está de acordo com o combinado e se nenhuma informação está errada, pois isso pode causar problemas depois.

Leia e releia o contrato quantas vezes achar necessário para entender todos os pontos descritos: se surgir alguma dúvida ao longo da leitura, pergunte para o atendente e esclareça tudo antes de assinar o documento. Se tudo estiver correto, é só assinar e aguardar a liberação do crédito para compra do tão sonhado imóvel!

São muitas opções para facilitar o seu caminho até a conquista da casa própria, agora é só escolher o melhor financiamento imobiliário para você. Coloque nossas dicas em prática e construa lindas histórias no seu novo lar!


Rolar para cima