Checklist da documentacao para o financiamento imobiliario

Checklist da documentação para o financiamento imobiliário

O sonho da casa própria fica muito mais próximo de se tornar realidade com o auxílio de um financiamento imobiliário, mas é importante ficar atento a alguns detalhes para garantir a sua aprovação. Um passo importante para evitar problemas é fazer um checklist da documentação necessária. 

Essa parte é fundamental, já que servirá como base para que o banco possa avaliar seus dados e suas condições de crédito para a compra do imóvel. São esses documentos que vão ajudar a definir as condições para o seu financiamento e a garantir a liberação do crédito.

Já deu para entender a importância da documentação para o processo, não é mesmo? Por isso nós vamos compartilhar com você o que não pode faltar no seu checklist de documentação para financiamento imobiliário, vamos conferir?

Como funciona o  financiamento imobiliário?

De forma bem resumida, o financiamento imobiliário é um empréstimo feito pelo banco para que você possa realizar a compra de um imóvel. Esse empréstimo será pago por você em parcelas, que incluem algumas taxas e juros no valor. 

Normalmente, é preciso pagar um valor de entrada referente ao preço total do imóvel e o restante se refere ao valor concedido pelo banco. É possível encontrar diversas linhas de crédito com condições de pagamento, taxa de juros e prazos diferenciados, por isso é preciso pesquisar com calma para encontrar aquela que melhor se adequa ao seu perfil. 

Vale destacar que não é preciso ser cliente do banco para solicitar o seu financiamento, mas pode ser mais vantajoso fechar negócio com uma instituição na qual você já possui conta. Isso porque as possibilidades de conseguir melhores condições podem ser maiores. 

É preciso entregar alguns documentos para que o banco consiga analisar seus dados e conferir se você tem condições de cumprir o pagamento das parcelas. Existem alguns passos indispensáveis para garantir a aprovação do seu crédito, confira:

  • Resolva pendências financeiras

Uma das primeiras coisas analisadas pelos bancos antes de conceder o financiamento é a regularidade do seu CPF. Quem possui dívidas ativas não consegue fazer um financiamento imobiliário, por isso é importante verificar a sua situação junto ao Serasa.

Caso tenha pendências financeiras, procure negociá-las antes de solicitar um financiamento imobiliário. Aproveite feirões de renegociação, confira oportunidades no portal do Serasa ou entre em contato direto com a empresa na qual a dívida está ativa: pagamentos à vista costumam gerar excelentes descontos, portanto não deixe de analisar essa possibilidade.

  • Organize as finanças

Independente de ter ou não pendências financeiras, colocar as finanças em ordem é um passo fundamental para quem vai fazer um financiamento imobiliário. A partir do momento que você fecha o contrato, é preciso ter em mente que você passa a ter um compromisso mensal com o banco, por isso é tão importante se organizar.

Para evitar atrasos no pagamento das suas parcelas, procure deixar essa quantia reservada assim que receber sua renda mensal. Vale a pena listar todos os seus gastos para identificar a possibilidade de cortar custos supérfluos e assim garantir um pagamento mais tranquilo, sem apertos no final do mês. 

  • Faça uma simulação 

Uma das melhores maneiras de visualizar como serão as suas parcelas e analisar as melhores condições de pagamento para você é a partir das simulações disponibilizadas pelos bancos. Com elas, você pode incluir o valor do imóvel e ter uma ideia de prazo para o pagamento, valor das parcelas, taxa de juros e quanto do imóvel pode ser financiado.

Essas simulações são bem simples de fazer e podem ser encontradas online, no site oficial das instituições financeiras de sua preferência. A nossa dica é testar várias opções em bancos diferentes, examinando tudo com calma para encontrar o melhor custo-benefício para você. 

  • Analise todas as opções com calma

Como falamos no item anterior, é muito importante examinar tudo com calma para encontrar a opção mais adequada para você. Existem várias linhas de crédito, mas muitas vezes, na pressa de adquirir um imóvel, as pessoas deixam de analisar todas as alternativas e assim podem acabar fazendo um mau negócio.

Pesquisa é a palavra-chave para que você garanta um financiamento imobiliário muito mais vantajoso, com taxas de juros mais baixas e condições de pagamentos mais atrativas para o seu perfil. A escolha certa vai assegurar a realização do sonho da casa própria sem dor de cabeça ao longo do processo. 

Checklist da documentação para financiamento imobiliário

Considerando todas as informações até aqui, você já sabe que a apresentação de documentos é essencial para que o seu financiamento seja aprovado, certo? A falta de um documento pode atrasar o processo, por isso é essencial preparar tudo com antecedência.

Outro ponto importante é tirar todas as suas dúvidas sobre a liberação de crédito para que não haja problemas no decorrer da negociação. Para agilizar o processo e evitar esquecimentos, um checklist da documentação para financiamento imobiliário pode ser seu maior aliado.

Anote os documentos que não podem faltar nessa lista:

1. Documento de identidade

O documento mais importante que temos é o RG: ele serve para comprovar a nossa identidade em qualquer lugar, por isso também é essencial para o seu financiamento imobiliário. Caso você seja casado, é necessário apresentar também o RG do seu cônjuge – isso vale para toda a documentação do financiamento imobiliário.

Ah, vale ressaltar que é possível unir sua renda a do seu cônjuge para conseguir a liberação de crédito para compra de imóveis mais caros. Vamos te explicar mais sobre isso ainda neste post, então não deixe de acompanhar a leitura até o final.

2. CPF

Outro documento indispensável é o seu CPF: você pode ter o número dele de forma individual, ou pode conferir se já está incluso no seu RG. Caso não esteja, pode entrar no site da Receita Federal e imprimir um comprovante – o processo é bem simples e rápido.

É a partir do seu CPF que o banco vai analisar a sua situação de crédito, incluindo dívidas e seu histórico como pagador. Hoje, o Cadastro Positivo é um ótimo aliado: ele considera seus pagamentos em dia e todo o seu comportamento como consumidor, e não apenas considerando dívidas e atrasos. O cadastro no programa é feito de maneira automática. 

As instituições financeiras têm acesso a estes dados e assim conseguem analisar o seu perfil de maneira mais completa, podendo garantir ótimas condições de pagamento de acordo com o seu perfil. Vale a pena verificar seu score de crédito antes também.

3. Comprovante de estado civil

É preciso também comprovar o seu estado civil para dar entrada na solicitação de seu financiamento imobiliário. Se você for casado, será preciso apresentar a certidão de casamento e se for divorciado, o processo deverá constar na certidão. O mesmo é válido para quem está em uma união estável.

Já para os solteiros, a certidão de nascimento é o documento utilizado para comprovar o estado civil e dar continuidade ao processo. 

Mais uma vez, vale lembrar que quem escolhe compor a renda com o cônjuge deverá apresentar toda a documentação de ambos os envolvidos: RG, CPF e comprovante de renda fazem parte dessa checklist.

4. Comprovante de endereço

No processo de financiamento, é importante apresentar um documento que comprove o seu endereço, assim como a maioria das transações solicitadas para atestar que você tem residência fixa e evitar fraudes no pedido. Esse documento precisa estar no seu nome, se for você mesmo quem está solicitando o benefício. 

Contas de água, luz, telefone, internet e até mesmo a fatura do seu cartão de crédito são alguns exemplos válidos para comprovar o seu endereço. Vale lembrar que os comprovantes aceitos podem variar de uma instituição para outra, por isso é importante confirmar as opções com o banco. 

Caso você não tenha nenhuma conta em seu nome, documentos em nome de terceiros podem ser apresentados, desde que se comprove o parentesco com essa pessoa. Para isso, documentos como RG e certidão de nascimento ou casamento devem ser apresentados.

5. Comprovação de Renda

A comprovação de renda é parte essencial do processo e pode ser feita de algumas formas. Se você declara Imposto de Renda anualmente, pode entregar a declaração referente ao ano anterior, por exemplo.

Caso seja um funcionário assalariado, pode pedir a emissão dos seus 3 últimos holerites na empresa em que trabalha e apresentar também a carteira de trabalho ou extrato do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço). 

Se você é empresário, é preciso apresentar o documento pró-labore. Já os trabalhadores autônomos podem comprovar renda por meio do Imposto de Renda ou extrato bancário. 

Em alguns casos é possível fazer a composição de renda familiar, em que todos os moradores podem contribuir e assim soma-se a renda mensal de todos os envolvidos. Esse método pode garantir a compra de um imóvel de valor mais alto com o financiamento, mas vale lembrar que todos precisarão apresentar comprovantes de renda nessas situações.

 

Sabemos que são muitos detalhes, mas com essas dicas vai ficar bem mais fácil para entregar toda a documentação corretamente. Agora é só dar início ao financiamento e em breve você estará no seu novo imóvel: não se esqueça de criar o checklist e confirmar a entrega de todos os documentos.


Rolar para cima