programa Casa Verde e Amarela

As principais dúvidas sobre o Casa Verde e Amarela respondidas aqui!

Se você deseja conquistar a casa própria, o programa Casa Verde e Amarela pode ser um grande aliado nesse processo. Agora se você já ouviu esse nome por aí, mas ainda tem dúvidas sobre o assunto, não precisa se preocupar: aqui vamos te contar tudo o que você precisa para entender como funciona o substituto do Minha Casa Minha Vida!
O financiamento imobiliário sem dúvidas é um dos caminhos mais seguros e tranquilos para a compra de imóveis, mas é preciso compreender bem as regras e condições de pagamento: com o Casa Verde e Amarela você tem diversos fatores que vão facilitar ainda mais a aquisição.
Quer conhecer o programa? Então vem com a gente esclarecer suas dúvidas sobre o Casa Verde e Amarela neste conteúdo exclusivo!

O que é o programa Casa Verde e Amarela?

Criado em agosto de 2020, o programa Casa Verde e Amarela é o substituto do Minha Casa Minha Vida. Apesar de ter, em essência, o mesmo objetivo e a mesma base, a nova proposta de programa habitacional apresentada pelo atual governo traz mudanças com o intuito de aprimorar a estrutura do projeto original, que estava em vigor desde 2009.
Além de facilitar o acesso à moradia para famílias de baixa renda, o Casa Verde e Amarela também estabelece ações para regularizar imóveis e para trazer habitações dignas aos brasileiros, com mais qualidade nas construções. A meta inicial do governo é atender 1,6 milhões de famílias até 2024.

Dúvidas frequentes sobre o Casa Verde e Amarela

1 – Quem pode participar?

O programa Casa Verde e Amarela é voltado para famílias com renda mensal de até R$7 mil. Para a área rural, a participação é permitida para famílias com renda anual até R$84 mil.
Além disso, é necessário ter mais de 18 anos e não ter imóvel em seu nome ou outro financiamento imobiliário ativo. Vale lembrar que, assim como acontecia no programa Minha Casa Minha Vida, as regras e condições de pagamento são definidas de acordo com a renda mensal de cada família.

2 – O que muda em relação ao Minha Casa Minha Vida?

As principais mudanças trazidas pelo Casa Verde e Amarela em relação ao Minha Casa Minha Vida são as taxas de juros, a nova divisão de renda mensal e ações para regularização fundiária e melhoria dos imóveis. Vamos entender um pouco mais sobre elas:

  • O Casa Verde e Amarela agora divide o público em três grupos (sobre os quais falaremos mais no próximo item dessa lista) e excluiu a antiga faixa 1 do Minha Casa Minha Vida, que atendia famílias com renda mensal de até R$1.800 e não pagavam juros. Agora essas famílias se encaixam no grupo 1 na nova classificação
  • As taxas de juros no antigo programa habitacional do governo ficavam entre 4,5% e 8,16%, dependendo da faixa. Agora, o Casa Verde e Amarela apresenta taxas que variam entre 4,25% e 8,16%
  • As regiões Norte e Nordeste contam com alguns benefícios extras, como juros mais baixos
  • Além do crédito para financiamento de imóveis, as reformulações do programa habitacional incluem novas ações como regularização fundiária e reformas com o objetivo de promover melhorias nas moradias.

3 – Qual a classificação por renda no Casa Verde e Amarela?

Como explicamos no item anterior, agora o programa habitacional divide o público em três grupos, confira como fica a classificação:

  • Grupo 1: contempla famílias com renda mensal de até R$2 mil. Para as regiões Norte e Nordeste o limite vai até R$2.600
  • Grupo 2: voltado para famílias com renda mensal entre R$2 mil e R$4 mil
  • Grupo 3: atende famílias com renda mensal entre R$4 mil e R$7 mil

Para entender melhor as mudanças, veja como funcionava a divisão no Minha Casa Minha Vida:

  • Faixa 1: famílias com renda mensal de até R$1.800
  • Faixa 1,5: famílias com renda mensal entre R$1.800 e R$2.600
  • Faixa 2: famílias com renda mensal entre R$2.600 e R$4 mil
  • Faixa 3: famílias com renda mensal entre R$4 mil e R$7 mil

4 – Como ficam os juros?

As taxas de juros são definidas de acordo com os grupos do programa. Confira como ficam os índices para cada um:

  • Grupo 1: juros de 5% a 5,25% ou 4,5% a 4,75% para cotistas do FGTS. Para as regiões Norte e Nordeste as taxas ficam entre 4,75% e 5% ou entre 4,25% a 4,5% para cotistas
  • Grupo 2: juros de 5,5% a 7% ou de 5% a 6,5% para cotistas do FGTS. As taxas para Norte e Nordeste variam de 5,25% a 7% ou de 4,75% a 6,5% para cotistas
  • Grupo 3: taxas de 8,16% ou de 7,66% para cotistas do FGTS válidas para todo o país.

5 – Como o subsídio é calculado?

O subsídio é um valor fornecido pelo governo para te ajudar na compra do seu imóvel: esse dinheiro é disponibilizado para as famílias contempladas pelo grupo 1 e não precisa ser devolvido pelo beneficiário.
Esse subsídio pode chegar a até 90% do valor total do imóvel, variando de uma cidade para outra e também de acordo com o valor do imóvel financiado. Vale ressaltar que o benefício é válido apenas para famílias que se encaixam no grupo 1 do programa Casa Verde e Amarela – ou seja, com renda mensal máxima de R$2 mil ou de R$2.600 para quem mora nas regiões Norte e Nordeste.

6 – Como usar o meu FGTS no financiamento imobiliário?

Sim, é possível usar o seu saldo do FGTS para facilitar o pagamento do financiamento imobiliário. Além dos cotistas contarem com taxas de juros mais baixas, eles também podem usar o saldo disponível para dar uma entrada no financiamento, amortizar ou até mesmo quitar as parcelas.
Você pode conferir o seu saldo diretamente no site da Caixa Econômica Federal ou pelo aplicativo do FGTS, disponível para iOS, Android e também para Windows.Para usar esse valor você não pode possuir outro financiamento ativo ou um imóvel em seu nome na mesma cidade.
Além disso, é preciso ter pelo menos três anos de contribuição para poder utilizar o seu saldo e você deve ser o solicitante do financiamento.

7 – Por que ele foi criado?

O programa Casa Verde e Amarela foi criado com o objetivo de aprimorar alguns pontos do Minha Casa Minha Vida, que já vigorava há mais de 10 anos. Apresentado em agosto de 2020, o novo programa habitacional teve sua lei sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro em janeiro de 2021.
Segundo o governo, as ações foram desenvolvidas para ampliar o estoque de moradias e para oferecer habitações dignas às famílias brasileiras, por isso traz foco também para as reformas de imóveis já prontos e para a regularização fundiária.

8 – Qual o valor da minha parcela?

Não podemos dar um valor exato para a sua parcela, pois essa decisão depende muito de alguns fatores, principalmente da renda mensal de cada família. Para você ter uma ideia e poder se planejar melhor, tenha em mente que as prestações não podem ultrapassar 30% da sua renda mensal.
Outra maneira de projetar as suas parcelas é fazendo uma simulação do financiamento imobiliário. Neste processo você consegue ter uma previsão de valores, prazo de pagamento e taxas de juros, mas vale lembrar que os dados compartilhados aqui são apenas uma estipulação: na hora de fechar o negócio, analise com calma as condições oferecidas e planeje-se de acordo com elas para manter o pagamento das parcelas em dia.
Ah, você pode fazer essa simulação de maneira bem prática e sem sair de casa diretamente no site da Caixa: basta acessar a página do simulador habitacional, preencher os dados solicitados e seguir as orientações.

9 – Como faço para me inscrever?

Se inscrever no novo programa habitacional do governo é bem simples: as famílias com renda mensal de até R$7 mil podem contratar o financiamento em uma agência da Caixa ou ainda diretamente com a construtora – prática muito comum para quem decide usar o crédito na compra de um imóvel na planta.
Depois disso, você deve entregar a documentação solicitada, aguardar a análise e aprovação dos seus dados para assinar o contrato. Na versão anterior do programa, as famílias do grupo 1 precisavam ir até a prefeitura da cidade para se inscrever e aguardar a data do sorteio das unidades para assinar o contrato.

10 – Quais as vantagens?

Ao longo deste post citamos diversas vantagens do programa Casa Verde e Amarela em relação ao seu antecessor, mas vamos reforçar alguns desses benefícios para fechar o conteúdo:

  • Juros mais baixos
  • Condições facilitadas para as regiões Norte e Nordeste
  • Possibilidade de reforma e regularização fundiária

Já deu para perceber que o Casa Verde e Amarela chegou para te ajudar a transformar o sonho da casa própria em realidade, não é mesmo? Então use as informações deste post para se planejar e aproveite as condições do financiamento para conquistar o seu lar!


Rolar para cima