Programa Casa Verde e Amarela

Saiba como usar FGTS para comprar imóvel no Casa Verde e Amarela

O programa Casa Verde e Amarela, sucessor do Minha Casa Minha Vida, traz inúmeros benefícios para quem deseja adquirir a casa própria, mas ainda existe uma maneira de facilitar ainda mais: usar o FGTS para comprar imóveis!
Sim, você pode utilizar o seu saldo de diversas maneiras ao longo do financiamento feito por meio do programa Casa Verde e Amarela. Neste post a gente te conta tudo sobre o processo e ainda explica um pouco mais sobre o novo programa habitacional do governo.
Então continue a leitura para entender os requisitos e descobrir se você pode aproveitar mais essa vantagem na compra do seu novo lar!

O programa Casa Verde e Amarela

Substituto do programa Minha Casa Minha Vida, o Casa Verde e Amarela é uma repaginação do programa habitacional do governo, que traz algumas alterações relevantes. Uma das principais mudanças é a redução na taxa de juros, sobre a qual falaremos ainda neste post.
A linha de financiamento imobiliário é oferecida em parceria com a Caixa Econômica Federal e disponibiliza condições mais atrativas para a compra de imóveis, como pagamento parcelado, prazo estendido para quitar o empréstimo, taxas mais baixas e subsídios do governo.
O objetivo do novo programa é aprimorar os benefícios concedidos e facilitar o caminho para a casa própria, a fim de atender a demanda por moradia digna no país. O Casa Verde e Amarela prevê atender 1,6 milhões de famílias até 2024 com o financiamento, que agora inclui também a possibilidade de reforma e ações voltadas para a regularização fundiária.

Quem pode participar?

O programa Casa Verde e Amarela segue o mesmo objetivo do seu antecessor: atender as famílias de baixa renda, oferecendo a oportunidade de aquisição da moradia própria com condições de pagamento facilitadas. Sendo assim, o programa estabelece alguns requisitos para a participação.
O principal requisito é a renda familiar mensal, que deve ser de até R$7 mil. A contratação pode ser feita de maneira individual em uma agência da Caixa Econômica Federal, diretamente com a construtora ou ainda por outra entidade organizadora.
A inscrição será avaliada para definir as condições do financiamento e depois será preciso entregar os documentos solicitados. Uma vez aprovada a documentação, o crédito é liberado pelo banco e você pode adquirir o seu imóvel!
Esse processo de contratação era um pouco diferente no programa Minha Casa Minha Vida: quem se encaixava na Faixa 1 do programa – que atendia famílias com renda mensal de até R$1.800,00 – precisava se inscrever na prefeitura de sua cidade ou em uma entidade organizadora e então aguardar o sorteio.

Grupos e taxas de juros

Assim como acontecia no Minha Casa Minha Vida, o programa Casa Verde e Amarela divide categorias com base na renda mensal para definir as condições disponibilizadas no financiamento imobiliário de acordo com o perfil de cada cliente.
Cada grupo apresenta benefícios distintos entre si, como taxa de juros diferenciada e a possibilidade de subsídios, por exemplo.
O Minha Casa Minha Vida fazia a categorização por renda mensal e definia as taxas de juros da seguinte maneira:

  • Faixa 1: a primeira faixa atendia famílias com renda mensal de até R$1.800. Não havia cobrança de juros nesta faixa e as prestações eram de, no máximo, R$270;
  • Faixa 1,5: faixa destinada às famílias com renda mensal de até R$2.600, com taxas de juros de 4,5% ao ano para cotistas do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) ou de 5% ao ano para não cotistas;
  • Faixa 2: faixa destinada para as famílias com renda mensal de até R$4 mil, com taxas de juros que ficavam entre 5,5% a 7% ao ano para não cotistas do FGTS ou entre 5% e 6,5% ao ano para cotistas.
  • Faixa 3: a última faixa atendia famílias com renda mensal de até R$7 mil, disponibilizando taxas de juros de 8,16% ao ano para não cotistas ou de 7,66% ao ano para cotistas do FGTS.

Agora confira como ficou a nova divisão apresentada pelo programa Casa Verde e Amarela:

  • Grupo 1: este grupo é destinado para famílias com renda mensal de até R$2 mil – para as regiões Norte e Nordeste, a renda máxima dessa categoria é de R$2.600. Para as regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, a taxa de juros fica entre 5% e 5,25% ao ano ou entre 4,5% e 4,75% para cotistas do FGTS.
    As regiões Norte e Nordeste contam com taxas de juros diferenciadas: as taxas ficam entre 4,75% e 5% ao ano ou entre 4,25% e 4,5% ao ano para cotistas.
  • Grupo 2: grupo destinado para as famílias com renda mensal de até R$4 mil. As taxas de juros ficam entre 5,5% e 7% ao ano ou 5% a 6,5% ao ano para cotistas do FGTS, nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste.
    Para as regiões Norte e Nordeste, as taxas de juros variam entre 5,25% e 7% ao ano ou entre 4,75% e 6,5% ao ano para cotistas.
  • Grupo 3: o último grupo atende famílias com renda mensal de até R$7 mil. As taxas são as mesmas para todas as regiões do país: 8,16% ao ano para não cotistas e 7,66% ao ano para cotistas do FGTS.

Como usar o FGTS para comprar imóveis?

Não há dúvidas de que as vantagens do programa Casa Verde e Amarela são grandes aliadas no momento da aquisição de um imóvel, mas nós sabemos que toda ajuda é bem-vinda no investimento, não é mesmo? O saldo do FGTS pode ser aquele empurrãozinho que faltava para tornar o processo de pagamento ainda mais tranquilo para você.
Antes de entendermos como usar o FGTS para comprar imóveis, vamos relembrar o que é o benefício: o FGTS é um fundo criado para garantir suporte ao trabalhador demitido sem justa causa. Todo funcionário registrado em regime CLT tem direito ao benefício, que corresponde a 8% do salário e deve ser depositado mensalmente pelo empregador – vale lembrar que o valor é um acréscimo, portanto nunca deve ser descontado do seu salário.
Para usar o benefício na compra de imóveis é preciso atender alguns requisitos sobre os quais falaremos a seguir, mas antes vamos te contar como você pode utilizar o saldo do FGTS no Casa Verde e Amarela:

  • Como entrada no financiamento;
  • Amortização do saldo devedor ou liquidação do valor devido;
  • Redução de até 80% do valor das parcelas em 12 meses consecutivos.

Além dessas ótimas oportunidades de negociação, os cotistas do FGTS ainda contam com taxas de juros mais baixas no programa Casa Verde e Amarela, como já mostramos aqui neste post.

Requisitos para usar o FGTS no Casa Verde e Amarela

Lembra quando falamos que é necessário preencher alguns requisitos para poder utilizar o FGTS na compra de imóveis? Agora chegou a hora de compartilhar quais são as normas para quem deseja aproveitar o benefício.
Veja se você pode usar o seu saldo:

  • O imóvel precisa estar em área urbana e localizado na cidade que você reside;
  • Você não pode ter outro financiamento ativo em seu nome;
  • Também não pode ter outro imóvel registrado em seu nome na mesma cidade do novo imóvel que deseja financiar;
  • A titularidade do contrato de financiamento e do benefício do FGTS devem ser a mesma;
  • É preciso receber o benefício há, pelo menos, três anos. Não é necessário que a contribuição tenha sido de apenas uma empresa;
  • Caso você use o seu saldo para reduzir parcelas, será preciso estar em dia com todos os pagamentos.

Vale lembrar que é importante ficar atento à relação de documentos necessários para o processo, pois assim você consegue separar tudo com antecedência e evitar qualquer problema de atraso com a liberação do seu saldo. Essa verificação é essencial também para que não ocorra uma negativa na liberação do valor por erro na documentação.
Ah, fique atento também ao limite de valor estabelecido para a redução da parcela. Essa determinação pode variar de um estado para o outro, portanto lembre-se de conferir para se planejar da melhor maneira possível e saber exatamente quanto vai poder descontar do financiamento com o uso do FGTS.

Quando o FGTS não pode ser utilizado

Já te contamos quais são os requisitos para utilizar o saldo do FGTS no contrato do Casa Verde e Amarela, mas é importante destacar também quando o benefício não pode ser usado nesta linha de financiamento. Confira se você pode contar com essa possibilidade:

  • Financiamentos para ampliação ou reforma de casas não podem utilizar recursos do FGTS;
  • Imóveis comerciais ficam de fora do benefício;
  • Financiamentos para compra de materiais de construção;
  • Financiamentos para compra de terrenos sem construir ao mesmo tempo;
  • Não é possível utilizar o FGTS para comprar imóveis para terceiros.

Esperamos que as informações deste post tenham esclarecido algumas dúvidas por aí! Nosso maior objetivo é te ajudar a conquistar a tão sonhada casa própria, por isso o blog da Cataguá está recheado de conteúdos com dicas exclusivas para quem deseja comprar um imóvel, não deixe de conferir!


Rolar para cima